PRÊMIO MULHERES DO AGRO – Prêmio Mulheres do Agro anuncia nove finalistas

Premiação recebeu mais de 200 inscrições. Anúncio das vencedoras será durante o Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio, no dia 27 de outubro

+Mulheres do Agro (Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Após receber mais de 200 inscrições, a terceira edição Prêmio Mulheres do Agro chega à reta final com o anúncio de nove finalistas (confira os nomes abaixo). Neste ano, a premiação teve um aumento de 61% nas inscrições em relação a 2019 e, desde o início do projeto, já reuniu mais de 550 histórias sobre a força feminina no campo.

De acordo com Francila Calica, gerente de Comunicação Corporativa da Bayer, a quantidade de mulheres que se propuseram a concorrer ao prêmio é reflexo de um esforço conjunto entre a multinacional, a Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) e as seis embaixadoras que ajudaram a encorajar o reconhecimento à liderança feminina. 

“Nós ganhamos reforço de um grupo de produtoras que se destacam por suas trajetórias e boas práticas agrícolas: Sônia Bonato (GO), Carla Rossato (PR), Dulce Ciochetta (MT), Cristiane Steinmetz (GO), Geni Schenkell (MT) e Luciane Rheinheimer (RS). Durante toda a fase de inscrições, as embaixadoras incentivaram outras mulheres agropecuaristas que praticam a gestão inovadora e sustentável a se inscreverem”, conta Francila.

A seleção das finalistas foi feita por uma banca de jurados composta por representantes das instituições Hub Talent, EY, Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS), Cepea, CME e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).
Francila conta que os jurados consideraram pilares econômico, social e ambiental como uso racional de recursos naturais, aumento da eficiência da produção com gestão inovadora, projetos que permitam o desenvolvimento social da comunidade ou de colaboradores da propriedade, bem-estar animal e valorização do capital humano.

Finalistas

Entrer as nove finalistas, estão as produtoras Tatiele Dalfior, Simoni Niehues e Michelle de Morais, que utilizam mapeamento aéreo, GPS e análise de dados. Também foram selecionadas Mara Motter, Clarisse Volski e Luciana Dalmagro, que têm investido em sistemas de energia solar, placas fotovoltaicas e reaproveitamento de águas pluviais.
Já o sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) está nas propriedades das finalistas Kamila Aguiar e Simone Felisbino, enquanto Flavia Montans foi selecionada por apostar no pilar social ao fomentar a capacitação profissional não só de funcionários, mas de jovens em escolas públicas.

Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Sul, Goiás, Minas Gerais e São Paulo são os Estados representados nas histórias das produtoras, que atuam em culturas que vão do trigo ao café, da soja às aves, do suíno ao algodão e da pecuária ao eucalipto.
O anúncio das vencedoras em cada categoria ocorrerá no Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio, no dia 27 de outubro. Em seguida, três produtoras participarão de live nas redes sociais da Globo Rural para contar mais sobre trajetórias e projetos sustentáveis.

MARIANA GRILLI

Fonte : Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *