Primeiras colheitas de milho apresentam boa produtividade

Produtores já colheram cerca de 10% da área destinada para o grão no Rio Grande do Sul, informa Emater

Os produtores gaúchos já colheram cerca de 10% da área de milho do Estado, destaca o informativo conjuntural da Emater. Outros 11% das lavouras estão com os grãos maduros e prontos para serem colhidos.

De acordo com os técnicos da Emater, os primeiros registros indicam uma boa produtividade das plantações, com resultado superior ao esperado inicialmente. As previsões da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) indicavam uma média de 6,4 toneladas por hectare no Estado, enquanto algumas lavouras no Noroeste gaúcho já atingiram mais de 8 toneladas por hectare.

De maneira pontual, algumas lavouras apresentaram redução do potencial produtivo, ocasionada pela irregularidade das precipitações em meados de dezembro. Muitas lavouras afetadas pelas intempéries estão sendo destinadas à ensilagem. Nesse sentido, a produção de silagem está paralisada em função da alta umidade do solo, que dificulta o acesso das máquinas no campo. Apesar disso, houve solicitação de seguro das lavouras (Proagro). Este quadro tende a se normalizar em função da melhoria das condições climáticas.

Em levantamentos realizados, foi constatado que ocorreu maior implantação da área no cedo em detrimento da "safrinha" que deve ser ocupada com soja. Nos locais onde foi iniciada a semeadura da cultura de segunda safra, os trabalhos não estão ocorrendo no ritmo desejado pela alta umidade do solo.

Em função dos dias chuvosos, a colheita para grãos das variedades mais precoces também não está avançando. Muitas áreas para ensilagem estão passando do ponto ideal para corte.

Produtores preocupam-se com a contínua queda dos preços, que possivelmente comprometerá a lucratividade das lavouras, pois, se a saca se mantiver cotada a R$ 32,99, essa tendência poderá se confirmar. A cultura da soja apresenta bom potencial produtivo no Estado. Com o retorno das precipitações, as plantações recuperaram o bom desenvolvimento. Lavouras de variedades precoces encontram-se em início de floração intensa. Até o momento, não houve ataque de lagartas em níveis que justificassem o controle químico.

A alta umidade do solo, com chuvas quase que diárias, não está permitindo nem a implantação da soja nas áreas colhidas de painço e silagem de milho, nem as aplicações de fungicidas, práticas que devem ser intensificadas quando houver condições apropriadas.

O arroz irrigado está em fase de desenvolvimento vegetativo e início intenso de floração (emborrachamento) nas primeiras lavouras semeadas no Estado. Alguns agricultores relatam dificuldade no controle das plantas daninhas devido ao excesso de umidade no solo.

Fonte: Jornal do Comércio |  PEDRO REVILLION/PALÁCIO PIRATINI/JC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.