Preço do leite ao produtor recua em janeiro

Situação é comum nesta época do ano por conta do período de safra e do menor consumo devido às férias escolares

criacao_leite (Foto: Rogerio Cassimiro/Ed. Globo)Expectativa para o próximo mês é de queda ou estabilidade (Foto: Rogerio Cassimiro/Ed. Globo)

O preço do leite pago ao produtor recuou pelo terceiro mês consecutivo, pressionado pelo aumento da captação e pela demanda moderada desde o final de 2013 em praticamente todas as regiões acompanhadas pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). A informação foi divulgada pela própria instituição nesta quinta-feira (30/1).

De acordo com o Cepea, a queda nos preços é comum nesta época do ano por conta do período de safra e do menor consumo do leite devido às férias escolares. “A queda nos preços já era esperada por agentes e muitos chegam a comentar que há um ‘superabastecimento’ dos laticínios. O excedente de matéria-prima estaria sendo utilizado para a fabricação de leite UHT e leite em pó em algumas regiões do país”, diz o texto da nota divulgada pelo instituto.

Em janeiro, o preço bruto “nacional” (média ponderada pelo volume captado em dezembro nos estados de GO, MG, PR, RS, SC, SP e BA; valor com frete e impostos) foi de R$ 0,9951 litro, redução de 4,46% ou de 4,6 centavos por litro em relação ao mês anterior. A média atual é 7,3% superior à de janeiro do ano passado em termos reais (valores deflacionados pelo IPCA de dezembro de 2013).

O preço líquido médio (sem frete e impostos) pago ao produtor foi de R$ 0,9180 litro, baixa de 4,39% ou de 4,2 centavos por litro frente a dezembro de 2013, mas 13,2% superior a janeiro do mesmo ano.

De acordo com o Índice de Captação do Leite do Cepea, o volume captado por laticínios e cooperativas em dezembro de 2013 aumentou 1,53% em relação ao mês anterior e está no maior nível da série do Cepea, iniciada em 2004. Dentre os sete estados acompanhados, apenas São Paulo teve redução, de 1,84%, pois os laticínios estavam com estoques elevados. Vale lembrar que o estado teve o maior aumento na captação de outubro para novembro, 8,15%.

Segundo os laticínios e cooperativas consultadas pela instituição, a expectativa para o próximo mês é de queda ou estabilidade nos valores pagos aos produtores. Entre os compradores entrevistados pelo Cepea, pouco mais da metade (55,4%), que representa 74,9% do leite amostrado, acredita que haverá queda nos preços do leite em fevereiro. Já 41,3% dos agentes, que representam 21,7% do volume amostrado de leite neste mês, indicam estabilidade nos preços. Apenas 3,3% dos agentes têm expectativa de alta.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *