Precipitações aliviam situação no RS

Depois do temor provocado pela estiagem da segunda quinzena de dezembro, o retorno da chuva nos últimos dias tranquilizou, pelo menos por enquanto, os produtores de milho no Rio Grande do Sul. A colheita começa nesta semana nas regiões norte e noroeste do Estado, onde o plantio aconteceu em agosto, e boa parte dos danos sofridos pelas lavouras plantadas mais cedo tende a diminuir com o aumento da umidade do solo, disse o gerente técnico da Emater-RS, Dulphe Pinheiro Machado Neto.

No centro do Estado, onde o cultivo começou em setembro, e a estiagem atingiu as plantas nas fases mais sensíveis (floração e enchimento de grãos), a cooperativa Cotrijal reviu de 60% para um intervalo entre 50% e 60% a estimativa de quebra da produtividade, informou o gerente de produção vegetal Sílvio Biasuz. A Cotrijal atua em 15 municípios, onde cerca de 250 associados plantam 18 mil hectares de milho, e inicialmente esperava um rendimento médio de 180 sacas por hectare.

Mas conforme Dulphe, os relatos de perdas e os pedidos de vistoria para recebimento do seguro agrícola encaminhados por alguns produtores até agora são insuficientes para indicar uma queda generalizada na produtividade média para o Estado. Ele lembra que há previsão de chuva nos próximos dias nas regiões produtoras, o que, se confirmada, contribuirá com a continuidade da recuperação das plantações.

Segundo a Emater-RS, o rendimento médio das lavouras de milho, que ocuparam 1 milhão de hectares no Rio Grande do Sul na safra de verão, deve ficar em 4.912 quilos/ha, ou uma produção de 4,9 milhões de toneladas, ante 5.171 quilos /ha e 5,3 milhões de toneladas, respectivamente, em 2012/2013. "Os produtores estavam preocupados, mas agora estão mais tranquilos", diz Dulphe.

A estiagem de dezembro também não comprometeu as lavouras de soja, que na época estavam em fase de desenvolvimento vegetativo e precisavam de menor volume de chuva. Conforme o assistente técnico estadual da Emater-RS, Alencar Rugeri, o período crítico para a cultura será entre 15 de janeiro e 15 de fevereiro, quando precisará de mais umidade. A estimativa inicial do órgão é de produtividade média de 2.629 quilos/ha e produção de 12,8 milhões de toneladas no Estado nesta safra, ante 2.698 quilos/ha e 12,7 milhões de toneladas em 2012/2013.

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3389438/precipitacoes-aliviam-situacao-no-rs#ixzz2pu5vaanh

Fonte: Valor | Por Sérgio Ruck Bueno | De Porto Alegre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *