Potencial desperdiçado

A colheita recorde de soja do produtor Tiago Rubert, de Cruz Alta, em meio a uma safra devastada pela seca, ilustra de maneira definitiva a importância estratégica da irrigação (complementada por manejo técnico correto da lavoura) e sua viabilidade econômica. Nada mais precisaria ser dito. Mas, vá lá, alguém poderia argumentar que a enorme diferença de produtividade, de 102,7 sacas por hectare no talhão irrigado para 25 sacas por hectare na área sem irrigação, ocorreu devido às condições excepcionais de um ano de seca. Não foi bem assim. A estimativa de produtividade da Emater para a região é de 43 sacas por hectare menos da metade do que o produtor premiado colheu. A performance da lavoura de Rubert, comparada à projeção para uma safra normal, é a melhor prova de que estamos colhendo muito aquém do nosso potencial produtivo.

Fonte: Zero Hora | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *