Porto se prepara para safra

CCGL investe R$ 9 milhões para elevar capacidade de descarga e armazenagem em terminais

Safra de até 9,5 milhões de toneladas de soja requer planejamento<br /><b>Crédito: </b> FÁBIO DUTRA / DIVULGAÇÃO / CP

Safra de até 9,5 milhões de toneladas de soja requer planejamento
Crédito: FÁBIO DUTRA / DIVULGAÇÃO / CP

A partir de 20 de março, o Porto de Rio Grande receberá a soja produzida no Estado para exportação. O Complexo Termasa/Tergrasa, da CCGL, deve movimentar cerca de 70% deste volume. Apesar da seca ter afetado a safra de verão, com estimativa de redução de até 4 milhões de toneladas de soja, os terminais se preparam para garantir o eficiente escoamento da oleaginosa. A intenção é evitar a formação de filas de caminhões na BR 392 e a longa espera para a descarga. Segundo o diretor-superintendente do Grupo CCGL, Guillermo Dawson Jr, o complexo desenvolverá ações conjuntas com a Superintendência do Porto de Rio Grande (Suprg), objetivando aumentar a capacidade de recebimento das cargas da zona de produção. Essas ações estão sendo definidas sob a coordenação da diretoria técnica da Suprg. "Em 2011, a superintendência coordenou a recepção da safra e está estruturando o mesmo planejamento para este ano. Esse trabalho de coordenação vem trazendo excelente resultado", observou.
Também estão sendo investidos pela CCGL R$ 9 milhões na capacidade de descarga nos dois terminais e na elevação da armazenagem. Serão feitos três novos tombadores que, em conjunto, poderão receber mais 400 caminhões/dia e com a possibilidade de estabelecer uma linha exclusiva de arroz, mesmo em meio à safra de soja. A instalação do primeiro tombador no Termasa deve ser concluída até o final deste mês. O restante será implantado no Tergrasa em março. O investimento inclui a construção, em fase final, de quatro silos para 20 mil toneladas adicionais.
Outra medida em curso é a manutenção e a melhoria no Sistema Pampa de programação logística visando o aumento do volume de descarga diário, além da mudança de horário para o início do agendamento, o que possibilitaria a antecipação da programação em 12 horas. "Antes, o agendamento começava à zero hora e foi antecipado para as 12h", explica o diretor-superintendente.
A CCGL também planeja fortalecer o recebimento rodo-ferroviário no terminal de Cruz Alta e o recebimento no terminal rodo-hidroviário de Taquari.

Fonte: Correio do Povo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.