Porto de Rio Grande realiza maior embarque de bovinos da sua história

Aproximadamente 25 mil animais vivos serão exportados para países como Turquia e Líbano

Começou nesta quinta-feira, com a previsão de terminar na próxima segunda-feira, o maior embarque de gado já realizado no porto de Rio Grande. São em torno de 25 mil animais que terão como destino a Turquia e o Líbano. Anteriormente, o recorde havia sido 20 mil cabeças que foram encaminhadas, em março deste ano, para a Jordânia.

A auditora fiscal agropecuária e integrante da equipe do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que auxilia o atual embarque, Mariza Costa Moreira dos Santos, detalha que, no primeiro momento, estão sendo carregados animais maiores, com cerca de 400 quilos cada, para abate imediato no Líbano. Depois entram no navio bovinos menores, que pesam em torno de 250 quilos, para engorda na Turquia. "É uma ação diferenciada porque leva duas categorias de animais, engorda e abate imediato", ressalta Mariza.

Devido à pandemia do coronavírus, o pessoal envolvido com o trabalho tem que usar EPIs de proteção, como máscaras, além disso os tripulantes não deverão desembarcar.

O superintendente dos Portos do Rio Grande do Sul, Fernando Estima, acrescenta que a iniciativa está sendo desenvolvida em um dos maiores navios dedicados a essa atividade, o NV Nada, de bandeira panamenha, que pode carregar até 26 mil cabeças.

O envio do gado está sendo feito por duas exportadoras, a Del Sur e a Euro, tendo como operadoras portuárias, respectivamente, as empresas Sagres e Vanzin. A maior parte dos bovinos é proveniente de produtores gaúchos. Estima acrescenta que o embarque está sendo realizado na área do estaleiro Rio Grande, da Ecovix, porque ali se verifica mais profundidade, o que possibilita que navios de maior porte atraquem no local.

Ele reforça que se trata de uma medida de caráter excepcional e experimental o uso dessa estrutura.

"Vamos fazer duas ou três operações dessas para firmar a possibilidade de sistematizar essa linha através de Rio Grande", adianta. O estaleiro, que originalmente havia sido concebido para a construção de plataformas e navios de apoio à atividade petroleira, encontra-se sem demanda dessa área atualmente.

"Para o estaleiro, isso (embarque do gado) é importante, pois ajuda a dar outra atividade para o complexo", argumenta o diretor operacional da Ecovix, Ricardo Ávila.

Fonte: Jornal do Comércio

Compartilhe!