Porto Alegre: Safra e zona rural são festejadas na colheita de uva e ameixa

Porto Alegre: Safra e zona rural são festejadas na colheita de uva e ameixa

A colheita de uva e ameixa da safra 2015/16 foi comemorada, na tarde dessa terça-feira, 5, não somente pela qualidade das frutas produzidas no último ano, mas por acontecer a menos de dois meses da sanção da lei que cria a zona rural de Porto Alegre. Durante o evento, na propriedade do agricultor Hildemar Píber, no Campo Novo, com a presença do prefeito José Fortunati, produtores e líderes comunitários festejaram a colheita e destacaram a importância da lei e dos incentivos à produção. O cuidado com a terra e com a manutenção das áreas rurais também foi destacado pelo prefeito, antes de conhecer as variedades de ameixas, uvas e figos da propriedade. “Temos aqui agricultores obstinados na busca da qualidade dos

Porto Alegre, RS - 05/01/2016 Abertura da colheita da 25ª Festa da Uva e da Ameixa Local: propriedade de Hildemar Piber Foto: Joel Vargas/PMPA
Abertura da colheita da 25ª Festa da Uva e da Ameixa
Local: propriedade de Hildemar Piber
Fotos: Joel Vargas/PMPA

seus produtos que merecem todo o incentivo”, disse, lembrando da venda direta dos produtos da zona Sul no largo Glênio Peres. Fortunati ressaltou que a lei que instituiu a zona rural freia os excessos na exploração imobiliária e dá tranquilidade aos produtores. Além disso, frisou ele, é importante o trabalho do sindicato na defesa do setor primário e o avanço das parceiras por parte da prefeitura com os governos estadual e federal. “É esse conjunto de ações que dão sustentação à zona rural, fazendo com que os produtos sejam sempre de melhor qualidade, aumentando a expectativa desses agricultores e fazendo, inclusive, com que seus filhos se sintam estimulados a permanecer aqui. Hoje celebramos mais do que a colheita. Celebramos a vida”, concluiu.

Com espaço na Praça Nossa Senhora de Belém Velho, a partir deste sábado, 9, a 25ª Festa da Uva e Ameixa deverá envolver ainda mais a comunidade, de acordo com o presidente do Sindicato Rural de Porto Alegre, Cleber Vieira. “Estamos voltando com força total, graças ao apoio da prefeitura e da Câmara para a aprovação da lei. Agora podemos bater no peito e dizer que temos uma zona rural em Porto Alegre”, festejou o dirigente. Vieira entende que a cidade vive um momento especial com a expectativa de crescimento da produção.

A previsão é que sejam colhidos 300 mil quilos de uva e 500 mil quilos de ameixa. A fruticultura é uma das principais atividades agrícolas da capital gaúcha. O microclima da zona Sul, aliado ao solo e à topografia, contribui para a produção de frutas de qualidade. Os tipos de uva com previsão de colheita são niagara rosa, niagara branca e francesa, e de ameixas, sanguínea, a golf blazer e amarelinha. A atual safra deverá chegar a 3 mil toneladas, somando pêssegos, ameixas, figos, morangos, uvas, melões, peras, goiabas e outras frutas.

Participaram da abertura da colheita o secretário da Produção, Indústria e Comércio (Smic), Antonio Kleber de Paula, o presidente da Câmara Municipal, Cássio Trogildo, o proprietário da chácara Hildemar Píber, o chefe do Escritório da Emater em Porto Alegre, Luiz Paulo Vieira Ramos, o representante da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Paulo Lipp, e a 2ª Princesa da festa, Priscila Ribeiro.

Festa – Neste sábado, 9, às 17h, será realizada a abertura oficial da 25ª Festa da Uva e Ameixa junto à Praça Nossa Senhora de Belém Velho, no bairro de mesmo nome. A festa estará aberta aos visitantes em dois finais de semanas de janeiro (9 e 10, 16 e17), das 9h às 20h. O evento será realizado em local coberto de 200 metros quadrados com seis bancas de frutas e flores, dez de artesanato, palco para apresentações musicais e danças, além de segurança e banheiros químicos.

A festa é promovida pela Divisão de Fomento Agropecuário da Smic e pelo Sindicato Rural de Porto Alegre, com apoio de Associação Comunitária Belém Velho (Ascobev), Instituto São Benedito, Amparo Santa Cruz e Emater/RS.

Lei – O Executivo elaborou um projeto de lei aprovado por unanimidade pela Câmara Municipal. A Lei Complementar 775/15 denomina zona rural uma área de 4,1 mil hectares localizada no Sul e no Extremo Sul de Porto Alegre, que equivale a 8,28% do território da cidade. A alteração teve a finalidade de garantir a sobrevivência de pequenos e médios proprietários agrícolas, a preservação da fauna e da flora, a sustentabilidade ambiental, a tradição histórica, cultural e econômica da região, além de promover o turismo ecológico. A zona rural possibilitará ainda a atração de investimentos federais por meio de projetos do município que visem à produção de alimentos saudáveis a preços acessíveis.

A volta da demarcação da zona rural, extinta pelo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano e Ambiental de 1999, era uma reivindicação dos produtores da Capital que enfrentavam dificuldades para licenciar algumas atividades e conseguir linhas de crédito especiais para atividades primárias.

Fonte: Felipe Vieira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *