Portaria do refúgio não ficará pronta nesta safra

Afirmação foi feita ao Canal Rural, por membros do grupo de trabalho reunido em Brasília

Fernanda Farias | Brasília (DF)

Produção/Canal Rural

Foto: Produção/Canal Rural

Entre os principais motivos apontados, está a falta de tempo hábil para que a discussão seja feita e a decisão tomada

O grupo de trabalho, criado para discutir a portaria que vai estabelecer as normas para áreas de refúgio de culturas transgênicas, tem um primeiro encontro nesta sexta, dia 9, em Brasília (DF). O Canal Rural conversou com alguns membros do grupo, que garantem que a portaria não será publicada neste ano. Um deles foi enfático afirmando que: “definitivamente, esta safra não terá a normatização das áreas de refúgio”.

Entre os principais motivos apontados, está a falta de tempo hábil para que a discussão seja feita e a decisão tomada. Nesta primeira reunião, por exemplo, ainda será definido o cronograma de trabalho. A expectativa é que, neste ano, seja possível realizar duas ou três reuniões, no máximo, o que não seria suficiente para tomar uma decisão, já que as opiniões são diversas sobre qual o índice mais adequado para cada cultura.

Esta nova previsão derruba as promessas do ministro Neri Geller, que há meses afirma que a portaria sairia para esta safra. Em agosto, o texto esteve bem próximo de ser finalizado, considerando os índices recomendados pelas empresas, como o referencial para o produtor. Mas o ministro considerou que precisava de ajustes e a discussão foi ampliada.

Cerca de 12 pessoas devem participar da reunião amanhã: representantes do Ministério da Agricultura, Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem), Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho), Aprosoja Brasil, Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Embrapa e USP/ESALQ.

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *