POLÍTICA – Políticos e entidades criticam postagem do governo sobre dia do agricultor

Imagem de homem armado foi considerada "criminosa" e "desrespeitosa". Após críticas, post foi apagado pela Secom

A decisão do governo federal de homenagear o agricultor brasileiro com a imagem de um homem armado gerou críticas por parte de entidades que atuam no combate à violência no campo. Após críticas, o post foi apagado das redes sociais.

Em nota, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) chamou de “criminosa” a postagem feita pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) no âmbito do dia do agricultor e destacou o aumento da violência no campo.

Tweet feito pela Secom em homenagem ao Dia do Agricultor tem foto de homem armado (Foto: Twitter/Reprodução)

Tweet feito pela Secom em homenagem ao Dia do Agricultor tem foto de homem armado (Foto: Twitter/Reprodução)

“A tentativa do governo Bolsonaro de vincular o ser social e histórico das camponesas e dos camponeses à figura de um jagunço é um ato criminoso. O modo de vida campesino, ao contrário do submundo jagunço, é voltado para o cultivo da vida, seja da vida da terra, das matas e das pessoas”, afirmou o coordenador nacional da entidade, Carlos Lima em nota.

Segundo a CPT, 81.225 famílias no campo tiveram seus territórios invadidos por grupos armados em 2020, aumento de 102,85% ante o ano anterior e o maior número já registrado pela entidade. Dessas famílias, 72% eram indígenas.

Em nota de repúdio, a Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (Contag) chamou de “desrespeitosa” a homenagem do governo federal.

Tweet feito pela Secom em homenagem ao Dia do Agricultor tem foto de homem armado (Foto: Twitter/Reprodução)

“A melhor homenagem que os agricultores e agricultoras familiares esperam é reconhecimento ao seu importante papel na produção de alimentos e no desenvolvimento do país. Ao invés disso, recebemos do governo federal uma ‘homenagem’ totalmente desrespeitosa, com a imagem de uma pessoa no campo segurando uma espingarda. Exigimos respeito!”, disse o documento divulgado nesta quarta-feira (28/7).

Em suas redes sociais, o ex-deputado federal pelo PSDB e secretário de agricultura de São Paulo entre 1996 e 1998, Xico Graziano, também criticou o tom da homenagem feita pelo governo federal.

Segundo ele, a associação do agricultor com um homem armado é “um ataque à imagem dos produtores rurais”. “Repilo essa publicação horrorosa do Planalto. Um desrespeito aos meus avós, pioneiros do agro”, afirmou o político.

REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : GLOBO RURAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *