POLÍTICA – "Não nos apontem o dedo", diz deputado sobre Amazônia

No Congresso Brasileiro do Algodão, José Mário Schreiner disse que eventuais incêndios criminosos são caso de polícia, sem nada a ver com o produtor rural

O deputado federal José Mário Scheriner, presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Goiás (Faeg) disse, nesta terça-feira (27/8), que eventuais incêndios criminosos na Amazônia são caso de lei e de polícia e que não tem a ver com a produção rural. Ele fez a afirmação durante a abertura do 12º Congresso Brasileiro do Algodão, promovido pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), em Goiânia (GO).

"Não nos apontem o dedo", disse o parlamentar, apresentado como representante da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). "Ações criminosas são caso de polícia, de lei. Não é o produtor rural", acrescentou, sugerindo que as críticas à produção agropecuária brasileira por conta da situação da Amazônia estejam ligadas interesses comerciais.

Schreiner argumentou que, quando se vê a ocorrência de incêndios florestais em nações da Europa ou nos Estados Unidos, há um "sentimento de dó" do que acontece. No entanto, diante do que ocorre atualmente no Brasil, "nos apontam o dedo e nos acusam". Por essa razão, é feita uma defesa, que chamou de intransigente de o agronegócio não compactua com ações ilegais.

Falando em nome dos ex-presidentes da Abrapa, que foram homenageados durante a abertura do Congresso Brasileiro do Algodão, João Luiz Pessa criticou o tratamento que a mídia internacional tem dado à questão amazônica. Ele também sugeriu que as críticas estariam ligadas a interesses comerciais.

"Se estamos fazendo algo errado, mostrem quem e onde", disse ele, que lembrou da criação do Instituto Algodão Social, no Estado de Mato Grosso, com a finalidade de promover ações relacionadas a questões ambientais e trabalhistas no setor.

Cooperação

Em seu pronunciamento, o diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), embaixador Ruy Carlos Pereira, destacou a importância do Brasil cooperar com outros países em ciência e tecnologia para o desenvolvimento da cotonicultura. Desta forma, é possível identificar soluções comuns e inovadora para não só para a produção brasileira, mas dos países com quem essa cooperação é feita.

"O algodão é um dos mais importantes produtos agrícolas do mundo. Temos que fortalecer as parcerias entre institutos de pesquisa e reforçar o uso da fibra natural", disse ele.

*O repórter viajou a convite da Abrapa

RAPHAEL SALOMÃO*, DE GOIÂNIA (GO)

Fonte : Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *