POLÍTICA| – MP que altera Código Florestal vai caducar, diz Alcolumbre

Presidente do Senado disse em sessão que não irá analisar a MP, que vence na próxima segunda-feira (3/6)

senado (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)Senado não votará MP do Código Florestal (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

Após a aprovação na Câmara da MP 867, que altera o Código Florestal, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse aos senadores que não convocaria sessão deliberativa para apreciar a Medida Provisória, que vence na próxima segunda-feira (3/6). Até o líder do governo, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), adminita a possibilidade das medidas perderem a validade, já que precisam ter sua tramitação concluída nas duas Casas do Congresso até segunda.

Ele ressaltou que a MP a ter maior impacto sobre o governo, do ponto de vista fiscal, seria a 871, de combate a fraudes em benefícios previdenciários, mas, ponderou que o importante era aprovar a MP 870 –que modifica a estrutura e reduz o número de ministérios, enviada para sanção na véspera – e aprovar, na sequência projeto que trata da regra de ouro e a reforma da Previdência. “As MPs que caducarem no caminho, tentaremos resolver por projeto de lei com urgência”, disse Coelho.

Depois, o presidente do Senado tomou a palavra novamente para anunciar que suspenderia a sessão desta quarta-feira de forma a manter o quórum e reaproveitá-lo para uma sessão na quinta-feira, para aprovar as MPs 871 e 872 de maneira simbólica, sem a necessidade de votação nominal.

“Peço ao plenário que no dia de amanhã nós votemos simbolicamente a MP 871 e a 872, em virtude do acordo construído com vários líderes e não votaremos a 867”, disse.

POR REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : GLOBO RURAL

Compartilhe!