POLÍTICA – Ministro do Meio Ambiente questiona fusão da pasta com a Agricultura

Para Edson Duarte, haveria dificuldades operacionais e problemas para a economia nacional, especialmente o agronegócio

agricultura-ministerio-sede (Foto: Divulgação/Mapa)

Agenda comum com a Agricultira representa uma pequena parte das atribuições do Ministério do Meio Ambiente, diz ministro (Foto: Divulgação/Mapa)

Oministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, se manifestou contrário à união da pasta com a da Agricultura. Em nota oficial, ele disse que o Ministério resultante da medida teria dificuldades operacionais que poderiam afetar as duas agendas.

“A economia nacional sofreria, especialmente o agronegócio, diante de uma possível retaliação comercial por parte de países importantes. Além disso, corre-se o risco de perdas no que tange a interlocução internacional, que muitas vezes demanda participação em nível ministerial”, avaliou Duarte, acrescentando ter ficado surpreso com o anúncio feito na terça-feira (30/10).

No comunicado, o ministro informou ter preparado um trabalho detalhado para dar total ciência das atribuições da pasta à equipe de transição, com quem afirmou espera ter um diálogo transparente e qualificado. E ressaltou que os assuntos em comum com a Agricultura representam uma pequena parte da agenda do Meio Ambiente.

Menciona, por exemplo, que dos 2.782 processos de licenciamento tramitando no Ibama, apenas 29 estão relacionados à atividade agrícola. “O Ministério do Meio Ambiente tem interface com todas as demais agendas públicas, mas suas ações extrapolam cada uma delas, necessitando, por isso, de estrutura própria e fortalecida”, disse Edson Duarte.

O Ministério da Agricultura não divulgou comunicado oficial avaliando a fusão com Meio Ambiente. O ministro Blairo Maggi está em missão oficial à China e aos Emirados Árabes. No entanto, ela já havia se posicionado contra a medida anteriormente. Para ele, nessa conta, “dois mais dois não são quatro”.

“São áreas extremamente importantes para a economia brasileira e uma representação muito grande no Brasil e fora do Brasil. É praticamente impossível uma pessoa coordenar sozinha os dois ministérios”, disse ele, em entrevista a Globo Rural, durante a entrega do Prêmio Melhores do Agronegócio, realizado neste mês, em São Paulo (SP).

POR REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : GLOBO RURAL