POLÍTICA – Kátia Abreu contraria PMDB e fica no governo, diz colunista

Ilimar Franco, do jornal O Globo, informa que o vice-presidente Michel Temer já teria sido comunicado da decisão

katia_abre_ministra (Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil)

Kátia Abreu defende que não há razão para impeachment da presidente Dilma Rousseff (Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil)

Ministra da Agricultura, Kátia Abreu, já teria confirmado ao vice-presidente da República, Michel Temer, que continua no governo. A informação é do colunista Ilimar Franco, do jornal O Globo. Ele diz ainda que o próprio Temer já teria comentado o assunto com seus assessores mais próximos. Se confirmada, a decisão contraria orientação do partido dela, o PMDB, que nesta terça-feira (29/3) oficializou o rompimento com o governo.

“A decisão era esperada, pois a ministra não estava mais afinada com o partido e tem muitos problemas com o governador de Tocantins, Marcelo Miranda”, diz a nota do colunista. Franco informa ainda que a opção seria Kátia Abreu trocar de partido, depois da saída dos peemedebistas da base governista.

saiba mais

Oficialmente, o Ministério da Agricultura não confirma a decisão de Kátia Abreu. Segundo a assessoria, ela não deve comunicar nada publicamente nesta terça-feira. A ministra da Agricultura defende que não há razões para o impeachment de Dilma Rousseff e mais de uma vez posicionou-se dizendo acreditar na honestidade da presidente da República.

“O impeachment existe na constituição e, por si só, não é golpe, mas pode se transformar em golpe. É um processo traumático e que deixa feridas na nação. Nós não temos o direito de ser imprudentes”, disse, em entrevista concedida, também nesta terça-feira, ao diretor de Redação de Globo Rural, Bruno Blecher, e ao jornalista Carlos Alberto Sardenberg, na Rádio CBN.

A conversa foi ao ar antes do anúncio oficial do PMDB, durante o quadro CBN Agronegócios, no programa CBN Brasil. Kátia Abreu disse que aguardaria a decisão do partido antes de tomar sua posição. A ministra disse também que apoia as investigações da Operação Lava Jato, mas ponderou que a ação deve ser isenta e “sem espetáculo”.

POR REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : Globo Rural

Compartilhe!