POLÍTICA – Em encontro com Tereza Cristina, ministra da Agricultura de Portugal manifesta apoio ao acordo Mercosul-União Europeia

Maria do Ceu Antunes e ministra brasileira participaram de um seminário de negócios e Brasil confirmou a reabertura de mercado para lácteos portugueses

+tereza-maria-encontro-lisboa (Foto: Nuno Antão)

Ministras Tereza Cristina e Maria do Céu Antunes se reúnem em Lisboa (Foto: Nuno Antão)

A ministra da Agricultura de Portugal, Maria do Céu Antunes, disse, nesta segunda-feira (12/10), que país apoia a assinatura do acordo Mercosul-União Europeia desde o princípio e que tem consciência de sua importância para as duas regiões. Ela fez a afirmação em uma mensagem em vídeo, ao lado da ministra da Agricultura do Brasil, Tereza Cristina, com quem se reuniu, em Lisboa, capital portuguesa.

“Há neste mesmo acordo um grande empenho para garantir as questões ligadas à sustentabilidade econômica, social e ambiental. E trabalhamos juntos para, efetivamente, por em prática, este mesmo acordo”, disse a ministra.

A política ambiental do Brasil, especialmente em meio ao aumento dos números de desmatamento e de queimadas nas regiões da Amazônia e do Pantanal, tem sido colocada como fator de risco para o acordo entre os dois blocos. Recentemente, lideranças de países europeus, como França e Alemanha, disseram considerar a possibilidade do acordo não ser confirmado caso a situação continue.

Na mesma mensagem de vídeo, a ministra da Agricultura do Brasil, Tereza Cristina, se disse satisfeita de ter ouvido Portugal reiterar seu apoio ao acordo Mercosul-União Europeia, “sua posição de sempre”.

A agenda das duas ministras, nesta segunda-feira (12/10), previa a participação no Seminário Portugal-Brasil: Oportunidades de Negócios no setor Agroalimentar, na capital portuguesa. De acordo com o divulgado pelo Ministério da Agricultura (Mapa), Tereza Cristina também reiterou os benefícios do acordo para as duas regiões. E negou que ele represente qualquer ameaça ao meio ambiente.

“Esperamos, portanto, que as vozes mal-intencionadas que atacam o acordo não prevaleçam sobre nosso interesse mútuo de promoção do desenvolvimento sustentável. Contamos com o apoio do povo português para que nosso acordo entre em vigor no menor prazo possível”, disse a ministra, de acordo com a nota divulgada pelo Ministério da Agricultura.

Ainda conforme o comunicado, Tereza Cristina destacou o aumento da produtividade da agropecuária brasileira, o que foi um fator de sustentabilidade na produção. E lembrou que o Brasil utiliza apenas 30% do seu território para a agropecuária, mantendo cerca de 60% de sua vegetação nativa preservada.

Já o secretário de Estado de Internacionalização de Portugal, Eurico Brilhante, ressaltou que o acordo é um dos mais desenvolvidos e contempla iniciativas voltadas para o desenvolvimento sustentável.

“Portugal sempre se destacou na defesa deste acordo, porque acreditamos na ideia de que o comércio internacional é positivo, é bom, constrói pontes, é um indutor de criação de riqueza e que, como diria o nosso poeta Fernando Pessoa, quem quer a paz, faz o comércio”, disse Dias, conforme a nota do governo brasileiro.

tereza-maria-ceu-seminario (Foto: Nuno Antão)

Tereza Cristina e Maria do Ceu Antunes participam de seminário, em Lisboa (Foto: Nuno Antão)

Lácteos dos Açores

Na mensagem conjunta em vídeo, a ministra Tereza Cristina confirmou que o Brasil abrirá seu mercado para as importações de produtos lácteos da região dos Açores, em Portugal.  Ela se disse otimista em relação ao fortalecimento das relações “mais próximas e mais diretas”, entre os dois países, que chamou de “irmãos”.

“Reestabelecemos esse mercado para produtos lácteos, em um pre-listing para Portugal. E os pescados, que reabrimos também novamente o pre-listing para o Brasil. Temos muitos pontos de cooperação, podemos cooperar nas nossas empresas de inovação e tecnologia. Temos muito a trocar entre nossos países”, disse ela, convidando a ministra portuguesa a ir ao Brasil.

Maria do Céu Antunes disse que a liberação das exportações de lácteos dos Açores para o Brasil foi conseguida depois de cinco anos. E afirmou ainda que Portugal tem a intenção, no ano que vem, de conseguir exportar para o mercado brasileiro produtos como mirtilos, ameixas e uvas.

“À semelhança do que fizeram nossos antepassados, continuamos juntos”, disse.

REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : GLOBO RURAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *