POLÍTICA – Deputado federal Sérgio Souza é eleito presidente da Bancada Ruralista no Congresso

Parlamentar do MDB do Paraná disse que seus principais desafios são garantir segurança jurídica no campo e fortalecer imagem do setor

Alceu Moreira e Sérgio Souza, da FPA (Foto: FPA/Divulgação)

Deputado federal Alceu Moreira (MDB-RS), à esquerda, será substituído no comando da FPA pelo colega de Câmara Sérgio Souza (MDB-PR) (Foto: FPA/Divulgação)

O deputado federal Sérgio Souza (MDB-PR) foi eleito nesta terça-feira (1/12) presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). Atual vice-presidente da Bancada Ruralista no Congresso, o parlamentar comandará o colegiado no biênio 2021/22.

Ele substituirá o deputado federal Alceu Moreira (MDB-RS) na liderança do setor junto à Câmara e ao Senado. A posse está prevista para ocorrer em fevereiro de 2021.

Para Souza, o agro brasileiro tem dois principais desafios para os próximos anos: garantir segurança jurídica e "estabelecer a real imagem" do setor no país e no mundo. "É necessário que a população saiba a importância do agro do Brasil, não só para o país, mas também para o planeta”, afirmou.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que presidiu a FPA em 2018, destacou o trabalho de Moreira e se colocou à disposição do novo presidente “para juntos buscarem soluções para vencer os desafios existentes e os que estão por vir”.

Quem é o novo presidente

Nascido na região do Vale do Ivaí (PR), o deputado federal Sergio Souza é graduado em Direito pela Universidade Tuiuti do Paraná e especializado na área eleitoral (Unicuritiba).

Começou a vida pública em 2011, como o representante do Estado no Senado. Foi eleito deputado federal em 2014 e reeleito em 2018. No Congresso, já são quase 10 anos, com atuação focada em agro, saúde, educação e emprego. 

Já foi presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara. Atualmente, presidente a Comissão de Finanças e Tributação, além de ser secretário-geral da Frente Parlamentar do Cooperativismo.

REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : GLOBO RURAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *