POLÍTICA CNA quer rapidez em projetos que incentivem conectividade rural

Evento, nesta quarta-feira (11/3), na sede da entidade, procurou "sensibilizar" parlamentares sobre o assunto

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) quer mais celeridade na tramitação de projetos que favoreçam a expansão da conectividade no meio rural. Foi o que disse, nesta quarta-feira (11/3), o coordenador técnico do Instituto CNA, Joaci Medeiros, para quem garantir o acesso das propriedade rurais às telecomunicações e à internet é assunto que não dá mais para esperar.

“O produtor rural não tem conexão. Se tiver, é porta de entrada para a inovação, comunicação, segurança pública, sucessão familiar. Abre oportunidades que, hoje, ele não tem. O produtor não quer ficar em propriedades offline”, diz Medeiros, em entrevista por telefone à Globo Rural.

Para dar uma ideia da urgência, ele menciona dados do Censo Agropecuário de 2017, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dos cerca de 5 milhões de estabelecimentos rurais do Brasil, 72% não tem conexão com a internet, o equivalente a cerca de 3,6 milhões de estabelecimentos. Dessas propriedades offline, 91% têm área de até 100 hectares. Metade está na região Nordeste.

A situação acontece, lembra Medeiros, mesmo com 87% dos municípios brasileiros atendidos por cobertura de sinal 4G, conforme dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O problema, diz ele, é que, de um modo geral, essa cobertura é mais forte na área próxima da sede do município, enquanto, em muitas localidades, a propriedade rural fica mais distante.

“Não é só a máquina, a área. É o produtor poder emitir uma nota fiscal eletrônica sem precisar se deslocar até a cidade. É intangível esse valor. Não se trata só da produtividade, mas da vida social dele”, argumenta o representante da CNA.

RAPHAEL SALOMÃO

Fonte : Globo Rural

Compartilhe!