POLÍTICA – Bolsonaro diz que há guerra de informação sobre a Amazônia

Em discurso durante cerimônia militar, presidente da República afirma que há interesse em tirar a soberania do Brasil sobre a região

O presidente Jair Bolsonaro disse, neste sábado (17/8), que outros países estão tentando ganhar uma "guerra de informação" sobre a Amazônia com interesse em tirar soberania do Brasil sobre a região. Ele mencionou o assunto em um breve discurso em Resende (RJ), onde participou de cerimônia na Academia Militar das Agulhas Negras.

“Temos um compromisso com esse pedaço de terra, mais rico e sagrado do mundo. Não é à toa que outros países cada vez mais tentam ganhar a guerra de informação para fazer com que ós venhamos a perder nossa soberania sobre essa área. O Brasil é riquíssimo. Pouquíssimos ou raros países têm o que nós temos”, disse ele, no discurso.

A nova menção à soberania nacional sobre a região amazônica foi feita dois dias depois da Noruega anunciar a suspensão de repasses ao Fundo Amazônia, que o país mantinha junto com a Alemanha. Ao reagir à notícia, Bolsonaro rebateu mencionando a caça às baleias, permitida pelo país, e recomendou que o dinheiro fosse usado para “ajudar a Angela Merkel a reflorestar a Alemanha”.

A cerimônia na Academia Militar das Agulhas Negras foi para a concessão do espadim para os cadetes de primeiro ano do Exército Brasileiro. No discurso, o presidente listou militares que fazem parte de seu governo. No palanque com Bolsonaro, estavam o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e do presidente do Congresso Nacional, Davi Alcolumbre.

Bolsonaro disse que sua missão é não deixar que o Brasil retorne a "políticas outras" que, segundo ele, não deram certo em lugar nenhum do mundo. voltou a fazer menção também ao resultado das eleições primárias na Argentina. Na votação, realizada no último domingo (11/8), a chapa de situação, do presidente Maurício Macri, foi derrotada pela de oposição, formada por Alberto Fernandez e pela ex-presidente Cristina Kirchner.

“Peçamos a Deus que a nossa querida Argentina, mais ao sul, saiba como proceder, através do seu povo, para não retroceder”, disse.

  • REDAÇÃO GLOBO RURAL
  • Fonte : GLOBO RURAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *