POLÍTICA AGRÍCOLA – Ministério da Agricultura aumenta preço mínimo de diversas culturas

Em média, os valores subiram 6,5%. Governo defende que esse é um mecanismo para garantir parte da receita do produtor

duas mãos segurando espigas de milho

Foto: Renata Silva/ Embrapa Rondônia

O governo federal reajustou os preços mínimos para as culturas de verão, regionais e para sementes. O reajuste médio foi de 6,5% para as culturas de verão, com variação entre 1,09% e 26,96%. O arroz longo fino em casca (Rio Grande do Sul e Santa Catarina) teve correção de 1,19%, algodão em caroço e em pluma, de 14,59%; feijão cores, de 3,06%; mandioca e derivados, entre 4,12% e 8,82%, leite, de 10,5%; soja, de 2,36%; milho, entre 7% e 11,04% e do café arábica, 2,46%.
Os novos valores, válidos para a safra 2018/2019 e safras 2019, foram publicados por meio da portaria 935 no Diário Oficial da União desta quarta-feira, dia 20. Confira o documento completo disponibilizado pelo Ministério da Agricultura .

O que são esses valores?

A Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) é um seguro ao produtor a custo zero e “torna-se uma ferramenta relevante na decisão de plantio. Exerce papel de destaque como mecanismo de garantia de parte da receita do produtor, sobretudo, em caso de crise de preços que comprometa a economia da atividade”, salienta o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Wilson Vaz de Araújo. O preço mínimo é o valor de referência para operação dessa política.
Os preços mínimos foram definidos, principalmente, com base nos custos variáveis de produção das lavouras, além de considerar outros indicadores de mercado. “Os valores da PGPM refletem os custos na produção agrícola, em um ambiente de baixa inflação”, complementa o secretário.

Por Canal Rural

Fonte :Canal Rural