Plantio de soja deve acelerar nas próximas semanas em MT

Expectativa é de chuvas mais regulares, favorecendo o trabalho

por Raphael Salomão, de Diamantino (MT)*

Ernesto de Souza

No médio-norte matogrossense, plantadeiras estão no campo mesmo sob chuva e durante a noite (Foto: Ernesto de Souza)

O plantio da soja no estado de Mato Grosso deve ser mais acelerado nas próximas semanas com a expectativa de chuvas mais regulares. A avaliação é do diretor técnico da Associação dos Produtores de Soja e Milho do estado (Aprosoja-MT), Nery Ribas.
De acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a semeadura da safra 2013/2014 está atrasada em relação à safra passada. Até a segunda semana de outubro, 9,1% da área prevista tiveram a passagem das plantadeiras. No período de 2012/2013, estava em 17,3%.
Na avaliação do Instituto, feita no boletim semanal divulgado nesta segunda-feira (14/10), a irregularidade de chuvas em algumas regiões provocou a situação. No entanto, o plantio deve aumentar à medida que as chuvas se tornem mais constantes, principalmente no oeste do estado.
“A tendência era essa mesmo”, disse ele, com base em previsões meteorológicas. “Era uma estiagem no início de outubro, não tendo regularidade de chuvas e a partir da segunda quinzena de outubro, as chuvas começam a se regularizar”.
O diretor da Aprosoja avaliou também que, diferente da safra passada, o produtor está “mais tranquilo, aproveitando todo o potencial da soja”. A razão, segundo ele, seria uma incerteza maior em relação ao plantio da segunda safra de milho, em razão dos baixos preços de mercado. O cultivo da segunda safra de algodão no estado também depende do atual ritmo de plantio.
Nery Ribas fez as declarações no primeiro dia de expedições do Circuito Tecnológico Aprosoja, organizado pela entidade. Na região de Diamantino, no médio-norte matogrossense, foi possível observar plantadeiras no campo mesmo sob chuva e atividade noturna de cultivo da primeira safra.
Durante duas semanas de expedição, devem ser visitadas mais de 600 propriedades rurais em Mato Grosso, com o objetivo de fazer um “raio x” da safra 2013/2014. Nas fazendas, escolhidas de modo aleatório, são colhidas amostras de insumos e aplicados questionários com os proprietários.
Os resultados serão contabilizados e devem ser apresentados até o final de novembro pela Aprosoja-MT. “São dados, indicadores que vão orientar a nossa diretoria a ir ao governo do estado, ao governo federal, aos institutos de pesquisa coma s reivindicações do campo”, explicou Ribas.
*O repórtes Raphael Salomão viajou a convite da Aprosoja-MT

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *