Plantio acelerado no PR ameniza mas não compensa atraso nacional

Plantio segue atrasado no Nordeste (foto), bem como no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. | Christian Rizzi/Gazeta do Povo

Plantio segue atrasado no Nordeste (foto), bem como no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

5 pontos de atraso

ainda são apontados no plantio brasileiro de soja, considerando a média dos últimos cinco anos como referência. Os três principais produtores (MT, PR e RS) estão reduzindo essa diferença.

O plantio de soja avançou sete pontos no Paraná na última semana, para 87% da área projetada, mostra novo relatório de Departamento de Economia Rural (Deral). O avanço tinha sido de cinco pontos na semana anterior. Os produtores estão aproveitando o clima úmido e a semeadura segue para a reta final com 98% das lavouras em estado bom e 2% em regular. O quadro permite ao segundo maior produtor da oleaginosa, atrás apenas de Mato Grosso, sustentar previsão de que a produtividade vai passar de 3,32 mil para 3,44 mil quilos por hectare, um avanço de 4% sobre índice que foi o mais alto de 2014/15 entre os estados brasileiros.O Paraná está plantando 5,24 milhões de hectares para atingir, pela primeira vez, 18 milhões de toneladas de soja. A previsão é de que o fenômeno El Niño não vai deixar faltar chuva.

Segundo a consultoria França Junior, o plantio brasileiro, porém, segue atrasado, alcançando 61%. Pela média dos últimos cinco anos, deveria estar em 66%. Mato Grosso alcançou sua média ao atingir 86%, mas ainda estão atrasados Rio Grande do Sul (numa diferença de cinco pontos), Santa Catarina (20), Goiás (12), Mato Grosso do Sul (três), Minas Gerais (14), Bahia (18), Maranhão (12), Piauí (17) e Tocantins (15).

Fonte : Gazeta do Povo