Plantel brasileiro diminuiu em 2012, aponta IBGE

O plantel brasileiro de bovinos, suínos e aves encolheu em 2012, apontou ontem Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em sua pesquisa Produção da Pecuária Municipal (PPM).

Segundo o IBGE, a pecuária enfrentou um cenário desfavorável, marcado pelo aumento nos principais custos de produção e por problemas climáticos, sobretudo no Nordeste. O setor também foi prejudicado pela quebra na produção de soja e milho, itens essenciais no preparo das rações utilizadas sobretudo nos segmentos de aves e suínos.

O rebanho bovino encolheu 0,7%, a 211,28 milhões de cabeças, tendência que deve persistir em 2013 devido ao grande abate de fêmeas. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o Brasil tem o segundo maior rebanho do mundo, atrás apenas do da Índia, onde não há produção comercial. A queda no rebanho foi a primeira desde, pelo menos, 2008.

O Nordeste foi a região onde o rebanho mais diminuiu, 4,5%, para 28,24 milhões de cabeças. O Sul amargou queda de 1,3%, para 27,63 milhões. Centro-Oeste e Sudeste tiveram reduções de 0,4% e 0,3%, respectivamente, para 72,38 milhões e 39,21 milhões. Em compensação, o efetivo cresceu 1,3% no Norte, para 43,81 milhões de cabeças.

No ano passado, o Brasil abateu 31,12 milhões de cabeças de bois (e produziu 7,35 milhões de toneladas de carne), o que significa uma taxa de abate inspecionado de 14,7% em relação ao rebanho total.

O plantel de suínos diminuiu em 1,3%, a 38,79 milhões de cabeças, em 2012. O número de suínos abatidos pelas indústrias inspecionadas foi de 35,98 milhões de cabeças, para uma produção de carne em torno de 3,46 milhões de toneladas.

Em 2012, o Brasil detinha o quarto maior plantel de suínos e a quinta maior produção, segundo o USDA. A China é a maior produtora, seguida de longe pela União Europeia e EUA.

Já o efetivo de galináceos sofreu uma retração de 1,9%, para 1,03 bilhão. O mesmo ocorreu com o efetivo brasileiro de ovinos, que recuou 5% em 2012, para 16,79 milhões de cabeças. Puxaram essa queda as variações negativas registradas nos Estados da Bahia, Pernambuco, Piauí, Mato Grosso, Goiás e São Paulo.

Segundo o IBGE, os consumidores sentiram no bolso os efeitos do ano difícil para a pecuária. Conforme o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a carne suína acumulou alta de 8,9% no período, enquanto frango inteiro e o em pedaços subiram 16,9% e 5,4%, respectivamente. Somente a carne bovina ficou mais barata em 2012 – queda 1,55%.

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3301244/plantel-brasileiro-diminuiu-em-2012-aponta-ibge#ixzz2hPqrjrhB

Fonte: Valor | Por Diogo Martins | Do Rio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *