PLANTAÇÕES GERAM IMPACTOS NO CLIMA

Drenagem de banhados muda vazão natural de rios e leva a cheias e seca

A drenagem de banhados para plantar nas regiões dos rios do Sinos e Gravataí mudou a vazão natural e a tendência, agora, é de que eles encham e esvaziem com muito mais rapidez. A mudança se reflete, por um lado, nas cheias e, por outro, na seca. Portanto, o que deveria gerar um benefício econômico acaba num prejuízo inestimável para toda a população. O desafio passou a ser a resiliência tanto para suportar os problemas criados pelo homem como para lidar com a sazonalidade do tempo e da disponibilidade de recursos.

Uma das formas é a observação para gerir melhor a água. O diretor do Departamento de Recursos Hídricos da Secretaria Estadual Meio Ambiente (Sema), Marco Mendonça, informa que o Estado está adquirindo 18 estações de monitoramento hidrometeorológico e, até o final de 2014, os equipamentos devem chegar a 30 e, no próximo ano, cem. Dessa maneira, o governo espera ter informações para planejar melhor a administração da água.

A falta do bem precioso é agravada pela poluição. Três rios no Estado estão entre os mais sujos do Brasil, conforme o IBGE. Sinos, Gravataí e Caí são o quarto, o quinto e o oitavo no ranking. Mendonça observa que a região Metropolitana concentra os problemas principalmente por conta do saneamento e dos resíduos industriais. Planos para melhorar a situação dos rios estão em andamento, como o tratamento de esgoto e a recomposição da mata ciliar.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *