Pesquisadores mineiros desenvolvem nova linhagem de soja preta

A partir de cruzamento genético, a Epamig obteve um cultivar mais resistente; estimativa é que o cultivar esteja no mercado em quatro anos

por Globo Rural On-line

  Divulgação

Soja preta possui quantidade maior de antioxidantes, que retardam o envelhecimento

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) anunciou na última quarta-feira (19/12) o desenvolvimento de um cultivar de soja preta. A variedade foi descoberta com cruzamentos genéticos. O grão já está sendo cultivado em campos experimentais em Uberaba, no Triângulo Mineiro e a estimativa é que a soja preta esteja disponível para o plantio em quatro anos.
Com os cruzamentos, os pesquisadores tinham o objetivo de obter as melhores características de cada variedade, como maior resistência a doenças, por exemplo. Além disso, a soja preta possui um antioxidante natural. "No ano passado a gente tinha 25 variedades em teste. Esse ano, temos só duas. Então, a gente já está afunilando, já está no finalzinho para decidir qual das duas ou se as duas vão ser a nova cultivar", diz a agrônoma da Epamig Ana Cristina Juhász.
Visualmente, as duas variedades que estão na disputa para serem colocadas no mercado não têm muitas diferenças. "Quando houver o pleno fornecimento da soja cultivada, daqui 40 ou 45 dias, será possível conhecer o potencial produtivo desses materiais", diz Flávio Amaral, técnico agrícola da Epamig.
Os estudos da empresa de pesquisa mineira foram feitos em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Fundação Triângulo.

Fonte: Globo Rural

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.