- Ricardo Alfonsin Advogados - https://alfonsin.com.br -

Pesquisador barrado no BB assume cargo no ministério

Vetado pelo Banco do Brasil para assumir o cargo de vice-presidente de Agronegócios da instituição, o pesquisador da Embrapa Francisco Basílio já está trabalhando como assessor especial no gabinete da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, embora sua nomeação ainda não tenho sido oficializada.

O Valor apurou que, apesar de ter sido indicado por Rubem Novaes, novo presidente do BB, Basílio foi barrado por não cumprir todos os requisitos previstos na Lei das Estatais. A decisão foi tomada pelo Comitê de Recuperação e Elegibilidade do banco, departamento responsável pelas regras de governança corporativa ligado à diretoria de Relações com Investidores.

Antes de assumir o comando do BB, Novaes disse que Basílio era "um nome de confiança". Sua indicação também foi recomendada pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina – o pesquisador integrou a equipe de transição e ajudou Tereza a arquitetar a nova estrutura da Pasta.

Procurados, Basílio preferiu não comentar a informação. O BB, que também não concedeu entrevista, até agora também não detalhou os motivos apontados para barrar o pesquisador. A interlocutores, Basílio tem dito que ele próprio desistiu da função, por questões familiares. Quatro fontes do banco ouvidas pela reportagem disseram, porém, que foi um imbróglio envolvendo a Embrapa que pesou na decisão.

Basílio chefiava a Secretaria de Relações Internacionais da estatal em 2012, quando houve uma polêmica envolvendo a fracassada criação da Embrapa Internacional. Houve suspeitas de que a subsidiária estava sendo criada sem o aval da equipe econômica do governo Dilma e do conselho da estatal. A Polícia Federal chegou a abrir inquérito para investigar eventuais irregularidades, mas arquivou o caso.

A Controladoria-Geral da União (CGU), por sua vez, decidiu apurar a responsabilidade administrativa dos servidores envolvidos e, nesse contexto, Basílio e outros funcionários foram exonerados por determinação do então ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro. Depois disso, a criação da Embrapa Internacional foi abortada e o presidente da Embrapa na época, Pedro Arraes, que havia sido afastado, pediu demissão.

Por meio de despacho publicado em 5 de outubro de 2012 do "Diário Oficial da União", Mendes Ribeiro criou uma comissão de sindicância para analisar a constituição da Embrapa Internacional, diante da "constatação de que houve descumprimento de preceitos legais e estatutários" na criação da filial. Não houve suspeitas envolvendo recursos financeiros.

Para técnicos do BB, Basílio também não tinha a experiência necessária para assumir o cargo de VP de Agronegócios. Ele atuou por 17 anos no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em Washington, mas a instituição não é enquadrada como banco comercial ou na categoria de mercado financeiro, como preconiza o Banco do Brasil.

Diante da decisão do BB, Novaes indicou para o cargo, que vinha sendo ocupado por Tarcísio Hubner, que se aposentou, o funcionário de carreira Ivandré Montiel. E Basílio está no gabinete da ministra Tereza Cristina, que defendeu seu novo assessor. "Esse episódio [da Embrapa Internacional] foi lá atrás, já procurei saber a respeito. Houve um erro na forma de fazer, mas não teve nenhuma mácula para o gestor Basílio. Só uma questão formal".

Fonte: Valor | Por Cristiano Zaia | De Brasília

Compartilhe!