Pesquisa busca melhorar o cultivo de soja no oeste paulista

Estudo concluiu que produção aumenta com rotações de culturas e reduz no cultivo feito entre renques de eucalipto

por Globo Rural On-line

  shutterstock

Um dos experimentos esteve voltado à melhoria do solo, visando o cultivo da soja

Após três anos dedicados à pesquisa de possibilidades em melhorar o ambiente de cultivo da soja no oeste paulista, oengenheiro agrônomo Fabrício Loureiro de Almeidaconcluiu que pode-se estimar aumento de produção comrotações de culturas em diferentes sistemas e a redução no cultivo realizado entre renques de eucalipto. Os resultados dos experimentos foram aprosentando e, banca de defesa junto ao Programa de Mestrado em Agronomia da Unoeste.
Numa área de oito hectares, o engenheiro trabalhou os cultivos de soja, milho, brachiaria e eucalipto, dividido em cinco talhões, dando prosseguimento aos experimentos iniciados em 2010 como parte de um projeto em que a Embrapa pretendia instalar uma Unidade de Referência Tencológica (URT) em Presidente Prudente (SP).
No talhão 1 desenvolveu a integração lavoura, pecuária e floresta, no 2 a integração soja e lavoura, no 3 o plantio convencional, no 4 com área de pastagem irrigada e no 5 com área de pastagem degradada. No 1º foi feito o cultivo consorciado de soja com eucalipto, no verão, e brachiaria, no inverno, para pastagem do gado. No 2º houve o consórcio de milho e brachiaria, sendo que após a colheita do cereal ficou o pasto. No 3º, primeiro a brachiaria e depois a soja. Foram duas safras: a 2010/2011 e a 2011/2012.
A pesquisa dividiu os experimentos em dois capítulos. O primeiro esteve voltado à melhoria do solo, visando o cultivo da soja. “O plantio com semeadura direta é viável por melhorar as características físicas e químicas do solo, além de melhorar o aproveitamento da água no solo. O plantio pelo sistema convencional, com o preparo do solo, nos dois primeiros anos apresentou melhor resultado que na semeadura direta. Porém, após esse período, o plantio direto se mostrou mais viável que o convencional, resultando em maior produtividade”, contou Almeida.
No segundo, o experimento foi sobre a produção de soja em diferentes posições entre renques de eucalipto. A intenção era avaliar se o sombreamento do eucalipto iria interferir na produção da soja. “Houve influência, causando redução de produção”, disse o pesquisador e ofereceu informações de que a plantação do eucalipto foi no sentido norte-sul, seguindo ascurvas de níveis, sendo três metros entre linhas e um metro entre plantas, com a distância de 15 metros (destinados à soja) de um renque ao outro.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *