Peso pesado ao agronegócio

O peso dos impostos na produção agrícola foi debatido ontem à tarde, no ‘Correio Rural Debate’, transmitido pela Rádio Guaíba e apresentado pela jornalista Ieda Risco, direto de Esteio. Segundo o vice-presidente da Sindilat, Wilson Zanatta, todas as etapas de produção são tributadas, o que encarece o custo do produto ao consumidor. Vice-presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva ressaltou que a entidade questiona a necessidade de alta carga tributária de produtos com elevado consumo, como o leite. ‘O governo tem de baixar o percentual dos tributos’, disse. Frisou que os custos de produção no Brasil variam de 27% a 30%. Os índices para o arroz e a carne, exemplificou, são de 39%. O superintendente do Senar/RS, Gilmar Tietböhl, salientou as parcerias para qualificar o setor agrícola.

Ao longo do debate, que teve também a participação dos deputados Ernani Polo e Edson Brum, foi mencionado o impacto negativo da tributação na competitividade. ‘Isso precisa ser trabalhado’, afirmou Polo. O gerente de agronegócio do Sebrae, João Kessler, destacou a necessidade de certificação para agregar valor à produção. O presidente da Procergs, Carlson Aquistapasse, disse que a empresa trabalha para qualificar os serviços do RS.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *