Perdas não devem elevar preço para os consumidores

Os cafezais afetados pela pinta preta vão representar queda na produção e prejuízo para os cafeicultores, de acordo com Anselmo Magno de Paula, da Cocapec.

No entanto, as perdas não devem impactar o preço do produto na indústria ou para o consumidor, segundo Marcelo Almeida, da Cooparaíso.

Embora São Paulo e Minas Gerais representem 77% de toda a produção de café arábica do país, de acordo com dados da CONAB(COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO), nem todas as fazendas de café estão comprometidas. Serão os produtores, portanto, que vão amargar o prejuízo.

Além disso, a incidência da pinta preta encarece a produção do fruto, já que os cafeicultores precisam investir mais em tratamentos fitossanitários, disse Magno de Paula.

A prevenção é importante porque sem ela a doença poderá atingir mais plantas. "Pode passar de um pé de café para o outro; basta a bactéria ter como entrar na planta."

Se, em 2010, ano de alta produção na cafeicultura, a região da Cocapec recebeu 1,75 milhão de sacas de café, neste ano a projeção é que os cooperados entreguem até 1 milhão de sacas.

Já a Cooparaíso estima que 1 milhão de sacas deixarão de ser produzidas por causa da doença.

Fonte: FOLHA DE S. PAULO – SP DE RIBEIRÃO PRETO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.