Perda de ICMS pode chegar a R$ 2,5 bilhões em três meses

Na sexta-feira, o governador Eduardo Leite (PSDB) estimou que o Rio Grande do Sul venha a perder 30% de sua arrecadação em Imposto de Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) nos próximos três meses. Se a estimativa se confirmar, “e está se confirmando nessas primeiras semanas de pandemia”, garantiu o governador, a perda será de R$ 2,5 bilhões ao cofres do Estado.O motivo é o impacto econômico do fechamento do comércio e restrições a outras atividades dentro do chamado distanciamento social ampliado, que é o regime adotado no Rio Grande do Sul para conter o avanço do coronavírus. Com base na emissão de notas fiscais eletrônicas, a Receita Estadual registrou queda de 38,2% nas vendas do varejo gaúcho na semana de 28 de março a 3 de abril. A indústria chegou a recuar 41%, e o atacado, 17%. O comparativo é sempre com o mesmo período de 2019.

“Isso são duas folhas de pagamento e meia”, disse Leite, para comparar a perda com os recursos destinados aos salários de todos os servidores públicos do Rio Grande do Sul. “Estamos contando com o aporte da União pela perda do ICMS. Se acontecer, vai ser em comparação ao que arrecadamos no ano passado.

Tínhamos uma expectativa de crescimento para este ano, ou seja, ainda que tenha reposição, será em volume menor que o esperado”, explicou o governador.

Para concluir, Leite afirmou que, “se não houver reposição do ICMS pelo Governo Federal, vamos ter uma situação absolutamente dramática”.

Fonte: Jornal do Comércio