Pedido por mudança em regra de financiamento para estocar arroz

Hoje, a referência nos contratos é o preço mínimo do produto, que é 111% inferior à média de mercado, o que torna pouco viável a ferramenta

16/03/2021 – 15h00minAtualizada em 16/03/2021 – 15h00min
GISELE LOEBLEIN

Mateus Bruxel / Agencia RBS
A solicitação foi encaminhada pela Federação da Agricultura do Estado (Farsul) à ministra Tereza CristinaMateus Bruxel / Agencia RBS

O grande descompasso entre o valor de mercado e o preço mínimo estabelecido para a saca de arroz — e que é usada como referência em operações — fez com que a Federação da Agricultura do Estado (Farsul) encaminhasse ao Ministério da Agricultura solicitação de mudança. A entidade sugere, conforme documento enviado à ministra Tereza Cristina, uma alteração na regra estabelecida pelo manual de crédito rural referente à Política de Garantia de Preços Mínimos. No trecho em questão, fica estabelecido o valor mínimo para as operações de Financiamento Especial para Estocagem (FEE,antigo EGF). Essa é uma linha de crédito que permite ao produtor armazenar o cereal, à espera do melhor momento para a venda, evitando concentrar tudo na safra, quando a oferta é maior. E com a expectativa de que haja valorização na entressafra, o que pode ou não acontecer.

Para isso, tem de dar garantia, com base no preço mínimo estabelecido pelo governo, hoje de R$ 40,18. O problema é que a média do mercado fica em torno de R$ 85, uma diferença de 111, 55%. Na prática, torna a ferramenta pouco viável.

Pela proposta feita, o valor de referência nesse financiamento passaria a ser estabelecido pelo agente financeiro, não podendo ser inferior ao mínimo.

— É uma ferramenta que interessa a toda a cadeia — reforça Francisco Schardong, coordenador da Comissão de Arroz da Farsul.

Para que a modificação seja possível, precisa ter o aval do Conselho Monetário Nacional.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *