PECUÁRIA – Preço do boi permanece acomodado com escala de abate confortável

"No entanto, os preços estão estão muito próximos do seu topo histórico", indica o analista Fernando Henrique Iglesias, da Safras & Mercado

O mercado físico de boi gordo registrou preços de estáveis a mais altos nesta segunda-feira. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, novamente houve algumas
negociações acima da referência média. “No entanto, os preços estão acomodados em grande parte do país, muito próximos ao seu topo histórico“, disse Iglesias.

Os frigoríficos ainda desfrutam de uma posição confortável em suas escalas de abate, que ainda atendem entre cinco e sete dias úteis em média. A incidência de animais a termo e confinamento próprio fazem com que os frigoríficos de maior porte desfrutem de uma posição ainda mais confortável.

O desempenho das exportações de carne bovina na primeira semana de agosto merece destaque, contabilizando um ótimo resultado, uma sinalização de que a boa demanda chinesa persiste em relação à carne bovina brasileira.

Com isso, em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 318 na modalidade à prazo, ante R$ 317 na segunda-feira. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 305, estável. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 314, ante R$ 313. Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 308,00, estável. Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 314 a arroba, ante R$ 313.

Atacado
Já no mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem firmes. Segundo Iglesias, a tendência é que as altas pontuais percam intensidade durante a segunda quinzena do mês, período que conta com menor apelo ao consumo. “O resultado das vendas durante o Dia dos Pais pode ser considerado satisfatório. O movimento de alta foi cerceado pela dificuldade do consumidor médio em absorver novos reajustes da carne bovina, mantendo o processo de migração com destino à carne de frango, proteína mais acessível”, assinalou Iglesias

O quarto dianteiro foi precificado a R$ 17 por quilo, alta de dez centavos. O quarto traseiro teve preço de R$ 21,25 por quilo, estável. Já a ponta de agulha foi precificada a R$ 17 por quilo, estável.

Por Agência Safras

Fonte : canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *