Parceria pode tirar do papel projeto para construir hotel e agroshopping no parque da Expointer

 

Acordo firmado há 10 dias entre governo e construtora pretende tornar o parque superavitário o ano todo e não apenas no período da feira

 

Parceria pode tirar do papel projeto para construir hotel e agroshopping no parque da Expointer ZH/

Na área concedida à empresa, projeto prevê construções que vão desde shopping até um hotelFoto: ZH

Passaram-se quase três anos do lançamento da maquete de remodelação do Parque Assis Brasil até a assinatura da parceria público-privada. Agora, com boa parte da burocracia vencida, o projeto que prevê empreendimentos privados como agroshopping e hotel tem sinal verde para dar nova identidade ao local.

A um mês da Expointer, veja como estão as obras no parque Assis Brasil
Leia todas as notícias do Campo e Lavoura

Assumida pela construtora Bolognesi, única empresa a habilitar-se na licitação lançada pelo governo estadual, a exploração de 23,7 hectares  – 18% da área total – pretende tornar o parque superavitário o ano todo e não apenas no período da Expointer. O contrato foi assinado no último dia 17.

– Agora não existe mais nenhum impedimento do ponto jurídico para o projeto andar – garante Jivago Rocha Lemes, coordenador jurídico da Secretaria Estadual da Agricultura.

A Bolognesi terá um ano a partir da obtenção da licença ambiental – ainda sem previsão, apesar de o governo ter prometido acelerá-la – para concluir a obra definitiva do dique de contenção do arroio Esteio.

A estrutura é aguardada para afastar o risco de alagamentos no parque, que há menos de uma semana ficou debaixo d’água devido à enchente. Em 10 anos, a empresa terá de realizar em parte do parque investimentos privados (veja a relação abaixo). Caso contrário, a área retornará para o Estado.

– Quando as obras estiverem prontas, ao final dos 10 anos, a construtora fará pagamento mensal de R$ 82,2 mil ao governo – explica Lemes.

No contrato assinado, está previsto investimento de R$ 16,19 milhões da construtora em obras de infraestrutura e benfeitoria durante 10 anos. No entanto, pelo projeto inicial lançado pelo governo em 2012, seriam necessários pelo menos R$ 280 milhões para construção de hotel, agroshopping e centros tecnológico e educacional.

Procurada, a Bolognesi informou que dará detalhes sobre os planos de exploração e de recursos a serem aplicados apenas a partir do início da Expointer deste ano.

Os termos para a remodelação

–  A parceria público-privada firmada entre governo estadual e Bolognesi no dia 17 de julho permite à construtora explorar a área concedida no Parque Assis Brasil por 25 anos.

– O investimento inicial previsto é de R$ 16,19 milhões. São R$ 4,3 milhões para construir, em um ano, dique de contenção do arroio Esteio, e R$ 11,8 milhões para, em 10 anos, aplicar em infraestrutura para construir uma área comercial, com centro educacional e área de eventos.

– Ao todo, foram concedidos 23,7 dos 132,5 hectares do parque (18% da área total). Confira abaixo o espaço previsto para a construção de cada empreendimento:

Hotel: 1,3 mil metros quadrados

Setor de comércio, gastronomia e serviços: 5,8 mil metros quadrados

Área institucional: 3,2 mil metros quadrados

Área para eventos: 47,1 mil metros quadrados

Agroshopping: 12,2  mil metros quadrados

Centro tecnológico: 18,7 mil metros quadrados

Centro educacional: 11,7 mil metros quadrados

Estacionamento para veículos: 64,4 mil metros quadrados

Por: Joana Colussi

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *