Para diretor da BRF, é necessário “desmatamento adicional” no Cerrado

Ana Paula Paiva/Valor

SÃO PAULO  -  A agricultura brasileira vai "precisar de um desmatamento adicional" nas áreas de Cerrado da região do Mapitoba — confluência entre os Estados de Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia —, afirmou hoje o diretor global de assuntos corporativos da BRF, Marcos Jank.

"Acredito que vamos precisar de algum desmatamento adicional, principalmente nos Cerrados. O Mapitoba depende do agronegócio, e lá vai ter que haver desmatamento porque existem solos planos e férteis, com potencial produtivo", afirmou Jank, em debate no "BrazilSummit", evento organizado pela revista The Economist, na capital paulista.

De acordo com o executivo, o desmatamento adicional do Mapitoba poderia ser compensado com o reflorestamento de áreas pouco produtivas em outras regiões. "Temos que pensar em desmatamento líquido zero", acrescentou ele.

(Luiz Henrique Mendes | Valor)

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3315442/para-diretor-da-brf-e-necessario-desmatamento-adicional-no-cerrado#ixzz2ijb30ZwY

Fonte: Valor | Por Luiz Henrique Mendes | Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *