Otimismo ma non troppo

Só alguma trapaça do clima – neste caso, a escassez de chuva típica de verões “normais” no Estado – pode atrapalhar a safra 2012/2013. O mercado das principais commodities agrícolas projeta um ano de preços firmes, principalmente por causa dos baixos estoques mundiais e da demanda por grãos sempre alta da China – que, mesmo com alguma desaceleração econômica, ainda deve crescer cerca de 7% em 2013.
Não chega a surpreender, portanto, a previsão otimista da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul) para a nova safra. Persistem, porém, alguns problemas que certamente não serão resolvidos tão cedo. O primeiro, a deficiência logística do país: estradas ruins, frota insuficiente de caminhões para transportar, por exemplo, milho do Centro-Oeste para a indústria gaúcha de carnes de frango e de suínos, alto custo das operações portuárias e escassez de armazéns. O segundo, o endividamento do setor que, enquanto não for solucionado, vai pender como uma espada sobre a cabeça dos produtores.

Fonte: Zero Hora | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho