Oposição quer criar CPI para investigar licenciamentos

A Operação Concutare, deflagrada na manhã de segunda-feira e que culminou na prisão dos secretários estadual e municipal do Meio Ambiente, respectivamente Carlos Fernando Niedersberg (PCdoB) e Luiz Fernando Záchia (PMDB), repercutiu também na sessão plenária da Câmara Municipal de Porto Alegre. Além do assunto ter sido abordado na tribuna pelos vereadores, o líder da oposição, Pedro Ruas (P-Sol), ingressou com um pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o envolvimento da iniciativa pública e privada no esquema de “vendas” de licenciamentos ambientais na Capital.
Em seu gabinete, juntamente com a vereadora Fernando Melchionna (P-Sol), Ruas enfatizou a necessidade de se conhecerem os danos ambientais causados pelo esquema, além de defender a divulgação do nome não só dos agentes públicos, mas também das empresas envolvidas. “Isto é uma obrigação da cidade de Porto Alegre, pois estas empresas podem ter outros negócios com a prefeitura, em outros ramos, portanto, a oposição quer ter acesso aos processos”, disse o parlamentar que poderá pedir o cancelamento de todos os licenciamentos ambientais dos últimos anos para que sejam apuradas irregularidades.
O líder do governo, Airto Ferronato (PSB), disse que a base aliada respeita a iniciativa da oposição, que deverá ser debatida no Legislativo municipal. “A solicitação do vereador Pedro Ruas será avaliada e votada assim como todos os demais pedidos de CPI.” Para abrir a CPI são necessárias 12 assinaturas.

Fonte: Jornal do Comércio | Guilherme Darros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *