Omelete mais cara

O que uma grande seca nos Estados Unidos tem a ver com a omelete mais cara em um restaurante de Porto Alegre? Mais do que se imagina. A ração que alimenta as aves poedeiras é constituída basicamente de milho e soja. Esses grãos estão com preços históricos recordes, principalmente por conta das notícias cada dia mais alarmantes sobre a seca norte-americana (isso depois da seca sul-americana na última safra). Os produtores de ovos não estão conseguindo suportar os custos de R$ 1,3 mil por tonelada de farelo de soja e R$ 600 por tonelada de milho. Com isso, a proteína animal mais barata, o ovo de galinha, deve ficar mais cara para o consumidor já a partir desta semana, segundo a Asgav. Rico em vitaminas, também, o ovo muitas vezes substitui a carne na mesa do brasileiro de baixa renda. Nos últimos cinco anos, o consumo per capita de ovos aumentou de menos de cem para mais de 160. O ovo ainda deve continuar sendo uma opção acessível. Mas a inflação dos preços pode impedir que o país alcance, em pouco tempo, a média mexicana ou japonesa: 365 ovos por habitante ao ano.

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *