OIE reconhece Brasil como país com risco insignificante para Vaca Louca

Mudança no status brasileiro para a doença ocorre nesta quinta, dia 24, durante Assembleia da Organização Mundial de Saúde Animal

Embrapa Rondônia

Foto: Embrapa Rondônia

Mudança no status brasileiro para a doença deve ser modificado nesta quinta

O Brasil será reconhecido como país que oferece risco insignificante para a Encefalopatia Espongiforme Bovina – EEB (conhecida como doença da Vaca Louca) nesta quinta, dia 24, durante reunião da 80ª Sessão Geral da Assembleia Mundial de Delegados da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, sigla em inglês). A Assembleia começou no domingo, dia 20, e segue até sexta, dia 25, em Paris, na França.
O parecer favorável já havia sido indicado pela Comissão Científica para Enfermidades dos Animais e pelo grupo ad hoc EEB da OIE, mas ainda dependia de um período de consulta perante os 178 países membros da OIE.
Conforme o Ministério da Agricultura, durante 60 dias os delegados da entidade puderam solicitar informações complementares e fazer questionamentos à OIE, o que não ocorreu.
Com a mudança, o Brasil passará a fazer parte de um grupo de 15 países dentre todos os integrantes da OIE. Apesar de nunca ter registrado casos de Vaca Louca, a alteração favorecerá a retomada do mercado de tripas para a União Europeia, a exportação de animais vivos e de carne in natura com osso para países que hoje vetam a entrada de produtos brasileiros, com o argumento de o país estar classificado como risco controlado.

Fonte: Ruralbr | MINISTÉRIO DA AGRICULTURA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *