Oferta de arroz fica mais equilibrada e ajuda produtor

Com os preços do grão sustentados por fatores internos e externos, os produtores gaúchos de arroz chegam à colheita da atual safra com cenário bem diferente do ano passado. Redução na área plantada, perspectiva de quebra na produção argentina e na uruguaia e incentivos do governo determinam oferta mais equilibrada e de melhor remuneração.

Depois de receber valores de até R$ 17 na safra passada pela saca, os produtores vivem um momento “mais tranquilo”, como define o presidente da Federação das Associações de Arrozeiros (Federarroz), Renato da Rocha. Hoje, a saca é vendida na faixa de R$ 26 a R$ 27, acima do preço mínimo de R$ 25,80.
Resultado de ações que ajudaram a regular a oferta excedente, como os mecanismos disponibilizados pelo governo federal – os leilões de Prêmio para o Escoamento de Produto (PEP) e os contratos de opção, por exemplo.

Ontem, foi lançada a 22ª edição da Abertura Oficial da Colheita do Arroz, marcada para 23 a 25 de fevereiro, em Restinga Seca.

Fonte : Zero Hora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.