Ociosidade e ferrugem

Reformas emergenciais no Parque Assis Brasil, para recuperar estruturas seriamente comprometidas, a menos de um mês do início da Expointer, não condizem com a importância que o evento deveria ter para seus organizadores. Mesmo que não ofereçam riscos aos participantes, como garantem técnicos ligados ao governo, as estruturas corroídas pela ferrugem, mostradas em ZH de ontem, são preocupantes. Na melhor das hipóteses, revelam um certo descaso com o palco da maior feira agropecuária do país. O Parque Assis Brasil necessita de manutenção permanente – e não apenas às vésperas da Expointer. A ociosidade de suas instalações na maior parte do ano agrava o problema. Se o parque fosse utilizado de janeiro a dezembro, para eventos diversos, certamente haveria um cuidado maior com a conservação de seus equipamentos.

Fonte: Zero Hora  | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *