O que dizem as empresas

Bom Gosto / Líder

O grupo LBR Lácteos (Bom Gosto) informa que o lote em questão é da marca Líder, produzido em 17 de dezembro de 2012, e foi retirado completamente do mercado em fevereiro deste ano, tão logo a empresa tomou conhecimento da possibilidade de existir problema de qualidade. E que, em vista disso, já foram descredenciadas cinco transportadoras terceirizadas de leite cru. A empresa decidiu, ainda, fechar um dos postos de resfriamento no RS por causa da ação de fraudadores na região. Garantiu que a companhia tem acompanhado de perto a investigação do MP e já adotou as medidas cabíveis com relação aos envolvidos, reafirmando que segue todas as regras de fiscalização exigidas pelo Mapa. Ainda relatou que, desde janeiro deste ano, reforçou a fiscalização do leite recebido, incluindo as novas exigências do Mapa. A Líder destacou que faz dupla checagem nos postos de resfriamento e na fábrica e que, desde janeiro, não detectou nenhuma alteração no leite cru destinado à produção. Portanto, o leite disponível no mercado está apto para ser consumido.

Italac

A Italac afirma que o problema foi pontual e que aconteceu no transporte do leite cru entre a fazenda e o laticínio, antes de ser industrializado. Assegurou ainda que os lotes identificados com problema foram retirados do mercado e não se encontram mais à disposição do consumidor e que todo o leite Italac encontra-se em perfeitas condições de consumo e qualidade. A empresa afirmou que apoia as ações do Mapa e do MP no sentido de assegurar a qualidade do leite em toda a sua cadeia de produção e manter a confiança do consumidor.

Mu-Mu

A Mu-Mu reforçou que a investigação do MP está concentrada no transporte entre o produtor leiteiro e os postos de resfriamento, onde o produto fica armazenado antes da entrada na fábrica. Afirmou que a empresa atende a todos os requisitos e protocolos de testes de matéria-prima exigidos pelo Mapa. Para os consumidores que possuam os produtos do lote 3 ARC, fabricação em 18 de janeiro de 2013, ou que tiverem dúvidas, o SAC está à disposição para esclarecimentos (0800-51-7542).

Latvida

A empresa não distribuiu comunicado com posicionamento oficial sobre a denúncia, mas informou, através do assessor de comunicação, Paulo Pereira, que o Jurídico da Latvida passou a tarde de ontem reunido com a Coordenadoria de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Cispoa), ‘para melhor entender o imbróglio a respeito do fechamento da fábrica’. A respeito do lote 196 identificado com problema, fabricado em 16 de fevereiro, informou que o produto ficou retido pela empresa, em quarentena, e que não chegou ao mercado.

Fonte: Correio do Povo

Compartilhe!