"O problema é o preço do milho e o transporte"

ENTREVISTA: Caio Rocha, secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura

Apesar das críticas disparadas por representantes do setor, em especial pelo presidente do Cidasc, Enori Barbieri, o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Caio Rocha, esclarece que o governo federal está atuando na busca de soluções para o problema do abastecimento de milho. Para a Agricultura, não há desabastecimento, mas um conjunto de fatores que agrava o quadro. Confira trechos de entrevista concedida ao Grupo RBS:

Diário Catarinense – Na visão da Agricultura, o Estado de Santa Catarina está enfrentando mesmo um problema de abastecimento de milho?

Caio Rocha – Não há falta do produto. Temos 1,2 milhão de toneladas de milho estocadas em Mato Grosso, além do produto em armazéns credenciados da CONAB em Santa Catarina. O problema é o preço do milho e o transporte até lá. E com o valor do grão alto vai começar a aumentar o preço do frango, assim como ocorreu com o suíno. Mas é preciso ficar claro que o Ministério da Agricultura está atuando para amenizar o problema do pequeno produtor.

DC – Mas representantes do setor criticam o governo federal, em especial o Ministério da Agricultura, de que falta comprometimento em busca de uma solução…

Rocha – Estamos realmente empenhados nesta questão. Desde maio trabalhamos no transporte deste milho estocado em Mato Grosso para as regiões mais necessitadas. Já subsidiamos o milho, de até 27 toneladas por mês ao pequeno produtor, e agora estamos também subsidiando o transporte para o criador que não pode buscar este produto.

DC – De concreto, o que está sendo feito?

Rocha – O frete do transporte desse produto será subsidiado pelo governo federal para que chegue aos pequenos criadores a um custo mais acessível. E a Agricultura, em comum acordo com o Ministério da Fazenda e o do Planejamento, também irá liberar a remoção de mais 200 mil toneladas de milho para SC e o RS. Também teremos, por outro lado, a CONAB licitando, no próximo dia 27, o transporte de mais 34 mil toneladas do grão para SC. O que aumentará o número de caminhões removendo o produto. Das 64 mil toneladas contratadas, já foram removidas para SC mais de 45 mil toneladas de milho e continuam o transporte de 18 mil toneladas.

adriana.langon@gruporbs.com.br

ADRIANA LANGON

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE – SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *