O julgamento do STF que pode acabar com R$ 6 bilhões em subsídios para agrotóxicos

Veículo grande solta spray de pesticidas em plantação
Direito de imagemGETTY IMAGESImage caption

Em ação no STF, o PSOL argumenta que a isenção de impostos para os agrotóxicos desrespeita a Constituição

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) pode julgar na tarde desta quarta-feira (19) um processo que pede o fim das isenções de impostos para agrotóxicos e outros produtos usados pelo agronegócio.

Só em impostos estaduais, a isenção chega a R$ 6,2 bilhões por ano, segundo estimativa de professores da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O processo é uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) apresentada em junho de 2016 pelo PSOL contra o governo federal, ainda durante o governo do ex-presidente Michel Temer (MDB). O relator do caso é o ministro Edson Fachin.

Na ação, o partido alega que a isenção de impostos para os agrotóxicos desrespeita a Constituição — a Carta assegura o direito ao meio ambiente equilibrado, que estaria sendo violado pela política de subsídios.

A mesma posição foi defendida em 2017 pela então procuradora-geral da República (PGR), Raquel Dodge: para ela, a política de desconto de impostos para agrotóxicos representa uma violação sistemática da Constituição.

Fonte: BBC

André Shalders – @andreshaldersDa BBC News Brasil em Brasília

Compartilhe!