O agronegócio não agrega valor?


Tem “especialistas” que sustentam ainda que o agronegócio não agrega valor. A Agrale, empresa brasileira, acaba de comunicar que nunca vendeu tanto tratores como na temporada 2013, ou seja, bateu o recorde. A companhia deverá negociar 20% a mais em relação ao ano passado e fabricar 2.200 unidades.

E sabe quem é o responsável por esse desempenho altamente positivo? “Este ano, o agronegócio deverá consumir e superar toda a nossa produção e deveremos ultrapassar as vendas registrados em 2010”, comunica Flávio Crosa, diretor de vendas da Agrale. O ano de 2010, para quem não se lembra, foi aquele no qual o PIB brasileiro encostou nos 8%.

Ah, sim, para fabricar um trator é necessário de parafuso a computadores de bordo, ou seja, muita mão de obra se faz necessária. Depois, tem transportes, vendas nas revendedoras e, finalmente, a chegada às  fazendas. Tinham condutores de colheitadeiras  em Mato Grosso que ganhavam de R$ 3 a R$ 5 mil reais.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *