Novos secretários assumem a Agricultura e o Turismo

Leite empossou Silvana Covatti (Agricultura) e Ronaldo Santini (Turismo)

/GESTÃO PÚBLICA

Patrícia Comunello patriciacomunello@jornaldocomercio.com.br

O governo de Eduardo Leite (PSDB) ganhou dois novos secretários em pastas que protagonizam os extremos da pandemia. Silvana Covatti assumiu a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural – sucedendo o filho Luis Antonio Covatti, o Covatti Filho -, setor que, como ela mesma disse, "é o PiB do Estado" e terá novo recorde de colheita este ano. Já Ronaldo Santini responde pela recém recriada Secretaria de Turismo, atividade mais afetada pela crise sanitária.

Na posse, feita por meio digi tal em transmissão pelo YouTube, Leite e Santini se apressaram em projetar que haverá mais medidas para ajudar o segmento, que vai de bares e restaurantes a hotelaria e locais de visitação e passeios, que atraíam visitantes do Brasil e até Exterior, como as regiões de Gramado, Canela e de Bento Gonçalves. "Toda a cadeia está fortemente afetada, pois é da natureza da atividade a aglomeração, que neste momento não é recomendado", lamentou o governador Eduardo Leite.

Com as restrições da bandeira preta que devem se manter ainda nas próximas semanas antes de recuo mais forte dos indicadores do novo coronavírus, a operação de parques e áreas de eventos es tão proibidas. Leite recebeu pedidos para a abertura para as vendas de Páscoa, mas não cedeu. Santini diz que já estava planejando ações e que anunciará nos próximos dias. "Vamos iniciar um trabalho de retomada de confiança", projetou o titular do Turismo, sem dar mais detalhes.

Na área da Agricultura, o governador citou entregas na gestão do filho de Silvana, Covatti Filho, como a conquista do status de zona livre de febre aftosa sem vacinação, que foi conferida no começo deste mês pela Organização Internacional de Saúde Animal (OIE). "Isso vai abrir ainda mais mercado para exportações", associou Leite.

Covatti Filho, que era o secre- tário mais jovem do governo, mais que o próprio governador, que tem 35 anos, como Leite costumava registrar e repetiu a observação nesta terça-feira, fez questão de destacar que sua mãe será a primeira mulher a dirigir a pasta.

"Como me disseram: vai ser a mãe recebendo o legado do filho", citou a nova titular, que reforçou que vai seguir a linha de atuação e manterá o diálogo com os setores do agronegócio. No quesito representação de gênero, o governo tucano elevou em 50% o número de integrantes em dois dias. Além de Silvana, outra secretária recém empossada foi Raquel Teixeira, que assumiu a área da Educação nessa segunda-feira (29).

Com isso, o governo passa de quatro para seis mulheres no comando de secretarias entre as 25 existentes. Elas respondem agora um quarto das estruturas que integram o primeiro escalão do governo. As outras ocupantes são Tânia Moreira, da Comunicação, Regina Becker, de Trabalho e Assistência Social, Beatriz Araújo, da Cultura, e Ana Amélia Lemos, de Relações Federativas e Internacionais.

Fonte: Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *