NOVO MODELO | Governo criará empresa para cuidar do parque

Projeto de revitalização que será apresentado no domingo inclui hotéis e local para shows

Hotéis, restaurantes, centro de eventos e uma concha acústica poderão fazer parte do cenário das próximas edições da Expointer. O projeto de criação de uma empresa para administrar e revitalizar o Parque de Exposições Assis Brasil, local da feira, será apresentado pelo governador Tarso Genro às 10h do próximo domingo.
Ainda não está definido se será uma estatal ou no modelo parceria público-privada (PPP). A empresa terá como objetivo principal fazer com que o parque opere durante o ano inteiro. Também serão feitos investimentos em manutenção para que as estruturas não se deteriorem.
O governo do Estado faz esforços para manter em sigilo o detalhamento do projeto, que prevê locais para hospedagem de visitantes, novos restaurantes, museu e palco em formato de concha para realização de shows. Essas atrações são estratégias para deixar o parque ativo e operante mesmo fora do período da Expointer ou da Fenasul.
Orçado em cerca de R$ 400 milhões, o projeto foi encomendado à consultoria M.Stortti pela Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul) em parceira com a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) e o Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos do Rio Grande do Sul (Simers).
De acordo com o presidente do Simers, Claudio Bier, o projeto é grandioso e bastante satisfatório para explorar o potencial do parque.
– É um plano muito ambicioso. Um verdadeiro presente que as empresas estão dando ao Estado – afirma Bier.
Melhorias também na estrutura da exposição
Outro aspecto importante do plano é o aprimoramento e expansão dos locais de provas e entretenimento pensados para a Expointer, incluindo o aumento da área destinada aos animais, sugestão das associações que encomendaram o projeto. O presidente da Farsul, Carlos Sperotto, está confiante nas novidades que serão detalhadas pelo governador na manhã de domingo.
– Fizemos parte do processo e estamos convictos de que o governo compreende bem a importância do setor – avalia Sperotto.
A empresária Elizabeth Cirne Lima, vice-presidente da Associação Brasileira de Criadores da Raça Devon, uma das envolvidas na idealização do projeto, afirma que entre as novidades anunciadas pelo governador podem estar estruturas para cursos teóricos e práticos relacionados ao agronegócio.
– Sugerimos que se criassem essas estruturas para capacitar profissionais. Os hotéis, restaurantes e outros empreendimentos funcionariam para sustentar essa movimentação durante o ano. O parque teria vida própria – conclui Elizabeth.
marcelo.sarkis@zerohora.com.br

MARCELO SARKIS

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *