Nova safra recorde traz alento para a economia do País

O noticiário sobre o coronavírus predomina na mídia, que cumpre o seu papel informativo, ainda que ele, há mais de um ano, estresse pelas mortes. No entanto, para amenizar a situação calamitosa em que o Brasil vive, novamente, há uma boa notícia vinda do agronegócio nacional. Sabe-se, oficialmente, que a safra agrícola de 2021 deve totalizar um recorde de 264,9 milhões de toneladas, 10,7 milhões de toneladas a mais que o desempenho do ano anterior, com crescimento de 4,2%, dados do divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Brasil deve colher novo recorde de soja em 2021, que crescerá 8,5% ante 2020, totalizando 131,8 milhões de toneladas.

Mas a produção total de milho será de 103 milhões de toneladas em 2021, sendo 25,4 milhões de toneladas de milho na primeira safra e outros 77,6 milhões de toneladas na segunda safra do grão. O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos da safra nacional de grãos que, somados, representaram 92,9% da estimativa da produção e responderam por 87,9% da área a ser colhida, com declínio de 0,1% na área a ser colhida de arroz.

Uma Comissão Parlamentar de Inquérito para levantar todos os possíveis erros do governo federal no combate ao coronavírus foi a intimação dada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ao presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Uma situação em que serão buscados culpados para a inércia que foi vista durante quase todo ano de 2020 e que somente nas últimas semanas ganhou ares de compromisso na vacinação.

Importa é que uma união absoluta de esforços consiga apurar a vacinação no País e entre nós, gaúchos. Tudo aponta que somente assim, vacinando muitos milhões dos mais de 11 milhões que habitam o Estado, conseguiremos minorar a ocupação dos hospitais e pensar em uma volta gradual à normalidade, o anseio de todos que não conseguem mais viver em uma situação forçada e que está prejudicando a saúde emocional de muita gente, além de comércio e negócios, em quase todos os setores.

Enquanto isso, o agronegócio sustenta a economia.

Mesmo com o noticiário do coronavírus, é preciso lembrar de boas notícias que vêm do agronegócio nacional

Fonte: Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *