Nova Funai quer índios produtivos

O dentista e pastor evangélico Antonio Fernandes Toninho Costa está na presidência da Funai desde 12 de janeiro. A instituição, que devia ter 6 mil funcionários, só tem 2.600. Seu orçamento já foi de R$ 200 milhões e caiu pela metade.

Diante dessa penúria, o desafio desse mineiro de 66 anos, indicado pelo PSC do pastor Everaldo, é proteger os direitos ameaçados de 200 povos. "Busco a paz no campo", disse ao Valor. Ele defende a criação de um fundo indenizatório para tornar viável processos de demarcação e pretende promover sistemas de produção que gerem renda aos índios. "O momento da Funai assistencialista não cabe mais, temos que produzir sustentabilidade, ensinar a pescar", diz.

Ruy Baron/Valor

Toninho Costa assumiu a Funai em 12 de janeiro e acha que a entidade assistencialista não cabe mais. Quer ensinar os índios "a pescar"

  • Por Daniela Chiaretti | De Brasília
  • Fonte : Valor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.