NOTÍCIASAGRICULTURA – ALTA DO DIESEL – Protesto de caminhoneiros continua mesmo após acordo com governo

Fonte:Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os motoristas continuam nas rodovias

Mesmo após acordo  fechado com o governo, caminhoneiros mantêm protestos pelo Brasil nesta sexta-feira, dia 24. A manifestação chega ao quinto dia consecutivo e em muitas regiões do país, o ato conta com a participação de produtores rurais.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ainda não houve nenhuma desmobilização de pontos de manifestação de caminhoneiros nas rodovias do país.

Na Régis Bitencourt, em São Paulo, carretas e caminhões permanecem estacionadas ao logo da rodovia. O mesmo ocorre em rodovias no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, estado que apresenta 74 pontos de manifestação. No Distrito Federal, a PRF registra manifestação de caminhoneiros na BR-020, BR-060, BR-070 e BR-080.

Os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Eduardo Guardia (Fazenda) e Carlos Marun (Secretaria de Governo) anunciaramna noite desta quinta-feira, 24, no Palácio do Planalto, acordo com entidades representantes dos caminhoneiros para suspensão dos protestos da categoria por 15 dias, quando as partes voltarão a se reunir.

Das 11 entidades do setor de transporte, em sua maioria caminhoneiros, que participaram do encontro, uma delas, a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), que representa 700 mil trabalhadores, recusou a proposta. O presidente da associação, José Fonseca Lopes, deixou a reunião no meio da tarde e disse que continuará parado. “Todo mundo acatou a posição que pediram, mas eu não. […] vim resolver o problema do PIS, da Cofins e da Cide, que está embutido no preço do combustível”, afirmou Lopes.

Veja pontos do acordo:

-Preço do diesel será reduzido em 10% nas refinarias e ficará fixo por 30 dias. Nesse período, o valor referência será de R$ 2,10 nas refinarias. Os custos da primeira quinzena com a redução, estimados em R$ 350 milhões, serão arcados pela Petrobras. As despesas dos 15 dias restantes ficarão com a União como compensação à petrolífera

-A cada 30 dias, o preço do diesel na refinaria será ajustado conforme a política de preços da Petrobras e fixado por mais um mês

-A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vai contratar caminhoneiros autônomos para atender até 30% da demanda de frete. O governo editará uma medida provisória no prazo de 15 dias

-Não haverá reoneração da folha de pagamento do setor de transporte rodoviário de cargas

-Tabela de frete será reeditada em 1º de junho e, a partir daí, ajustada a cada três meses pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT)

-Alíquota da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) será zerada em 2018 sobre o diesel

-Isenção do pedágio para caminhões que circulam vazios (eixo suspenso)

-Ações judiciais contrárias ao movimento serão extintas

-Multas aplicadas aos caminhoneiros em decorrência da paralisação serão negociadas com órgãos de trânsito

-Entidades e governo terão reuniões periódicas a cada 15 dias

-Petrobras irá incentivar que empresas contratadas para transporte dêem oportunidade aos caminhoneiros autônomos, como terceirizados, nas operações de transporte de cargo

-Solicitar à Petrobras que seja observada resolução da ANTT 420, de 2004, sobre renovação da frota nas contratações de transporte rodoviário de carga

  • Agência Brasil
  • Fonte : Canal Rural