Notícias – Rural – Rio Grande do Sul abre portas para raças sintéticas

Potencial do mercado é demonstrado pelo aumento de remates por pecuaristas da região

Cruzamento entre sistemas de produção provoca demanda crescente por genética de qualidade | Foto: Carolina Jardine / Divulgação / CP

Cruzamento entre sistemas de produção provoca demanda crescente por genética de qualidade | Foto: Carolina Jardine / Divulgação / CP

De um lado, a tradição das raças europeias e do gado criado a campo nativo no Pampa, famoso pela carne apreciada mundialmente. De outro, o imenso rebanho de gado Nelore, dotado da rusticidade necessária para enfrentar o Cerrado. O “casamento” entre estes dois sistemas de produção tem provocado uma demanda crescente por genética de qualidade – que tem no Rio Grande do Sul um dos principais fornecedores – no Centro-Oeste, região que concentra 34,2% do rebanho bovino do país. O potencial deste mercado é demonstrado pelo aumento dos remates voltados a esses pecuaristas; pela iniciativa das associações de raça, que têm fomentado o cruzamento por meio dos seus programas de carne; e pela formação de novos núcleos de criadores em regiões tropicais.

Danton Júnior

Fonte : Correio do Povo