Notícias – Rural Entidades discutem estratégias de combate ao cascudo serrador no RS

Estado tem áreas infestadas pela praga em General Câmara, São Jerônimo, Butiá e Encruzilhada do Sul

Cascudo serrador é uma espécie de inseto que ataca florestas de acácias-negras | Foto: Fernando Dias / Divulgação / CP

Cascudo serrador é uma espécie de inseto que ataca florestas de acácias-negras | Foto: Fernando Dias / Divulgação / CP

  • Maior produtor brasileiro de acácia-negra, o Rio Grande do Sul está tentando combater o cascudo serrador, que causa prejuízos às árvores utilizadas para extração de tanino, celulose e produção de carvão. A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação, junto com a Associação Gaúcha de Empresas Florestais (Ageflor) e a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), estão dialogando para elaborar estratégias de combate à praga.

Há pelo menos quatro áreas infestadas pelo cascudo serrador no RS: General Câmara, São Jerônimo, Butiá e Encruzilhada do Sul. Os locais foram visitados, na última semana, por servidores do Departamento de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária (DDPA) e o Departamento de Defesa Agropecuária (DDA).

De acordo com o engenheiro florestal da Secretaria da Agricultura, Jackson Brilhante, as florestas de acácia-negra apresentam grande importância social, por serem plantadas em pequenas propriedades. “Em média, estima-se que haja perda entre 20 a 35% na produtividade de madeira com o ataque da praga. Em alguns casos, a perda pode ser de 100% da área”, alerta.

A acácia-negra foi implantada no estado há cem anos.

Fonte : Correio do Povo